Gazeta Online: Freire critica unanimidade em Vitória

Redação

04 Maio 2012 | 18h44

Por Gazeta Online

Mesmo sem comentar o novo cenário da sucessão em Vitória com a possível desistência de pré-candidatos em apoio ao ex-governador Paulo Hartung (PMDB), o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, critica e acha difícil ocorrer uma unanimidade política na Capital.

“Por mais expressiva que possa ser uma liderança, não acredito em unanimidade. Por maior que seja a força, sempre há adversários”, respondeu Freire quando indagado se aceitaria o PPS desistir de lançar o deputado estadual Luciano Rezende e unir-se a um “blocão” com PMDB, PSDB e até o adversário PT do prefeito João Coser.

Cresce no bastidor o comentário sobre manobra para minar a candidatura da deputada federal Iriny Lopes (PT), alvejada no próprio partido e por forças que ela diz “externas ao PT”. Assim, os maiores partidos – como PT, PPS e o PSDB de Luiz Paulo Vellozo Lucas – recuariam para se aliarem a Hartung, que, não pela primeira vez, sairia do processo neutralizando adversários e controlando a sucessão. Iriny não é alinhada a ele.

Freire também mostrou-se surpreso com a articulação e alfinetou Hartung. “Vínhamos imaginando que Paulo Hartung estava próximo de apoiar Luciano. Apenas estranho, porque não me parecia que Hartung disputaria. Ele (Hartung) deveria fortalecer novas lideranças”.

Deputado federal, Freire estará na próxima terça-feira com Luciano para discutir o cenário e marcar agendas inclusive em Cariacica, onde o vice-prefeito Juninho (PPS) aspira à prefeitura. “Você não vai tirar de mim que a candidatura de Luciano é inegociável, que é a pau e pedra”.

O presidente do PT, Rui Falcão, só deve se manifestar após reunião com petistas capixabas, terça. Sérgio Guerra, do PSDB, disse desconhecer os movimentos e não os comentará.

PMDB avalia como difícil PT indicar vice de Hartung

Apesar de um setor do PT ventilar a possibilidade de indicar o vice para compor chapa encabeçada por Paulo Hartung (PMDB) a prefeito, um peemedebista e aliado do ex-governador diz que a parceria hoje seria “pouco provável”.

De acordo com a fonte, a “equação seria difícil de fechar”, já que o PSDB de Luiz Paulo Vellozo Lucas e o PPS de Luciano Rezende são adversários nacionais do PT e também são críticos da gestão do prefeito João Coser.

Aliados de Hartung confirmam que ele será mesmo candidato em Vitória.

Presidente estadual do PSDB, o deputado federal César Colnago afirma que os tucanos só conversam com partidos que “estão no campo de oposição à gestão desastrosa de Coser”. O partido defende a candidatura de Luiz Paulo.

É o que também ocorre com o PPS, que trabalha a candidatura de Luciano Rezende. (Vera Ferraço)