Folha do Estado: PDT pode romper com Mauro Mendes

Redação

04 Maio 2012 | 19h05

Por Folha do Estado

Os pré-candidatos a vereador do PDT solicitaram à executiva municipal e estadual que a sigla tenha candidato próprio à prefeitura de Cuiabá, no pleito deste ano. O nome do pré-candidato a sucessão municipal seria do médico Kamil Fares. Com isso, o “acordo” para apoiar o presidente do PSB cuiabano, Mauro Mendes seria rompido.

O lançamento da candidatura de Kamil serve também para pressionar o PSB, aliado dos pedetistas desde as eleições 2010, a oficializar o nome do empresário Mauro Mendes para a disputa. O socialista está adiando a definição, além de já existirem rumores de sua migração para o PMDB.

Kamil Fares, além da indicação para disputar a prefeitura de Cuiabá, também assumiu a presidência do PDT local. O ato de posse acontecerá na próxima sexta-feira, às 19h30, no auditório do colégio Presidente Médici.

Sobre a pré-candidatura a prefeito, Kamil reitera sua disposição de servir ao PDT. O médico também agradece a confiança dos correligionários que indicaram seu nome para a disputa.

“Partido se faz com compromisso e lealdade, e aqui no PDT eu não sinto um ambiente hostil, muito pelo contrário. Podemos virar as costas que não seremos apunhalados. Todos têm ambições, mas esses desejos devem ser concretizados com ética e respeito”, disse Kamil.

A aliança do PDT com o PSB e os demais partidos do movimento Cuiabá de Verdade está correndo o risco de implodir. A partir da candidatura de Kamil Fares à prefeitura todas as negociações feitas anteriormente podem ‘ir por água abaixo’.

O senador Pedro Taques, vice-presidente do PDT em Mato Grosso e membro do diretório em Cuiabá, afirma que os rumos do partido serão definidos a partir do debate de idéias entre os filiados. Segundo ele, seu cargo de senador não significa que suas preferências serão impostas como corretas. “Sexta-feira, na posse do Kamil, a idéia de lançar candidatura própria será amadurecida no debate. A definição ocorrerá somente em junho. Enquanto isso, permanecemos fazendo política em conjunto com nossos aliados”, explica o senador. No último período, o número de filiados triplicou de 1,8 mil para quase 5,5 mil militantes. Além disso, o PDT também passou a contar com sede para realização das atividades políticas.