A sapatada contra o diretor-gerente do FMI

Estadão

01 Outubro 2009 | 08h14

Um manifestante turco atirou um tênis ontem contra o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn. Strauss-Kahn estava dando uma palestra na universidade Bilgi, em Istambul, quando conseguiu se desviar de um tênis branco arremessado por um membro da platéia. Ele está na cidade para o encontro anual do Fundo. O “arremesso de calçados” se transformou em técnica popular de protesto desde que um jornalista iraquiano mirou um sapato no ex-presidente George W Bush, em Bagdá.O sapato atirado contra Bush, aliás, era de fabricação turca.

O estudante, de barba e vestido de branco, foi retirado do recinto por seguranças. Strauss-Kahn minimizou a gravidade do incidente. “É importante que tenhamos um debate aberto, fiquei feliz ao me reunir com estudantes e ouvir a opinião deles”, disse Strauss-Kahn. “É isso que o FMI precisa fazer, mesmo que nem todo mundo concorde – e uma coisa eu aprendi – os estudantes turcos são bem educados, esperaram até o final para reclamar”, ele afirmou a repórteres.

A Turquia já teve 18 pacotes com o FMI. Faz mais de um ano que o governo turco negocia um empréstimo com o Fundo, depois que seu último acordo de US$ 10 bilhões venceu em maio de 2008. Mas o Fundo insiste para que a Turquia adote princípios de austeridade fiscal. O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan , afirmou que a “Turquia não precisa mais da bengala do FMI e não pode aceitar exigências do Fundo sobre impostos e gastos.” Ele simboliza a desconfiança no país em relação ao Fundo.