Ovos e pedras
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ovos e pedras

Gozando de salvo-conduto, tapetão ou anistia, não habeas corpus, dado pelo STF, Lula teve de ser protegido de ovos e pedras jogados e, seu palanque na campanha eleitoral disfarçada de caravana em terras do sul do País

José Nêumanne

26 Março 2018 | 15h52

Guarda-chuvas tornaram-se necessários no palanque para evitar que ovos e pedras atingissem Lula. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

A caravana organizada por Lula para convencer a Justiça de que não deve prendê-lo, pois isso poderia por fogo no País, não está tendo o efeito imaginado por ele e pelos líderes políticos de esquerda que jogam a sorte de seu candidato preferencial à Presidência da República nesta chantagem. No Rio Grande do Sul na semana passada e em  Santa Catarina neste fim de semana, o ex-presidente foi recebido com pedras e ovos no palanque, o que o obrigou a mandar a polícia, que lhe garante a segurança, bater nos manifestantes e a postar no Twitter um post, que mandou depois tirar de circulação, em que se queixa da ingratidão dos adversários que, segundo ele dizia originalmente, deveriam lhe beijar os pés. Por enquanto, só lhe resta mesmo o Supremo.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na segunda-feira 26 de março de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Para ouvir Mal secreto, com Gal Costa, clique aqui

Para ler o poema Mal Secreto, de Raimundo Correia, clique aqui

http://www.jornaldepoesia.jor.br/raimun15.html

Assuntos para o comentário

1 – Haisem – A caravana com que Lula espera assustar a Justiça brasileira e impedir que seja decretada sua prisão, depois de uma eventual condenação na segunda instância hoje não está muito persuasiva no sentido desejado por ele. Você não acha?

SONORA_LULA OVADAS

 

2 – Carolina – Por que o advogado de Lula no Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, José Roberto Batochio, recorreu a uma frase do defensor do rei francês Luís 16 contra o que ele chamou de “ferozes jacobinos” e chamou de “turba” os manifestantes a favor da lei e, então, por conseqüência, do Estado de Direito?

 

3 – Haisem – Que outro texto da peroração de Batochio, tão elogiada pelos ministros garantistas do Supremo, chamou sua atenção? Você acha que Lula tem razão quando diz que deveriam lhe beijar os pés?

 

4 – Carolina – Por que o general da reserva Antônio Hamilton Martins Mourão chamou o habeas corpus que o STF está prestes a dar a Lula de “salvo conduto” e você chama de anistia? Não é um habeas corpus?

 

5 – Haisem – De onde vem essa informação de que está sendo negociado um indulto para Lula com um eventual candidato ao segundo turno, caso o candidato do PT não passe do primeiro?

 

6 – Carolina – Que credibilidade tem a Justiça Eleitoral se o TSE só vai poder analisar as contas de 2018 em 2023? Se a eleição for fraudada, o TSE só vai anular seu resultado findo o mandato do vencedor? Que jaboticaba é esta?

 

7 – Haisem – Qual a luz trazida às relações entre o bolivarianismo venezuelano e o populismo petista tuipiniquim pelo furaço de reportagem de nosso companheiro Jamil Chade no domingo no Estadão a respeito de liberação de 4 bilhões à empreiteira pelo caixa dois logo depois da eleição de Nicolás Maduro?

 

8 – Carolina – Por que a pesquisa DataFolha concluiu que a intervenção militar na segurança pública do Rio é aprovada por 76%, mas 71% não viram melhoria nenhuma e 52% esperam ver bons resultados em dezembro, quando ela for extinta?

 

SONORA Mal secreto Wally Salomão e Jards Macalé com Gal Costa