Memória implacável
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Memória implacável

Em prisão domiciliar, Odebercht encontrou no computador de casa e-mails comprometedores trocados com Lula

José Nêumanne

23 Fevereiro 2018 | 11h06

Advogado Tacla Duran, foragido da Justiça, réu na 48.ª fase da Lava Jato, era esperança de defesa de Lula contra Moro. Reprodução

O empreiteiro Marcelo Odebrecht entregou aos investigadores da Operação Lava Jato dezenas de mensagens que corroborariam sua delação premiada. A revelação pegou a defesa de Lula com as calças na mão, que agora adota como principal argumento contra ela o prazo para a entrega de provas ter vencido. Ou seja, nada de defesa concreta do ato, apenas o apelo a chicanas, fantasias e retórica ideológica. Nada disso salvará a pele de Lula no processo. É uma péssima notícia para os advogados, mas estes puderam comemorar a mudança do petista da alçada de Vallisney de Souza Oliveira para juízes considerados mais garantistas. Como diria Stanislaw Ponte Preta hoje, é o garantismo que assola o País.

(Comentário para o Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na sexta-feira 23 de fevereiro de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play:

Para ouvir Cidade lagoa, com Moreira da Silva, clique aqui

Abaixo, a íntegra da degravação do comentário:

Eldorado 23 de fevereiro de 2018 – Sexta-feira

Haisem O empreiteiro Marcelo Odebrecht entregou anteontem aos investigadores da Operação Lava Jato dezenas de mensagens que corroborariam sua delação premiada. Em que isso atinge Lula?

É que os tais e-mails foram anexados à ação penal na qual Lula é acusado de receber propina da Odebrecht.  “Após a progressão para o regime fechado diferenciado ocorrida em 19 de dezembro de 2017, o colaborador (Marcelo Odebrecht) teve acesso a um HD contendo o espelhamento de seu computador apreendido, quando passou a realizar buscas por mais elementos de corroboração dos fatos relatados no acordo por ele celebrado”, afirma a defesa de Marcelo Odebrecht. Neste processo, a Operação Lava Jato atribui a Lula vantagem indevida de R$ 12,5 milhões da Odebrecht, por meio de um terreno que abrigaria o Instituto que leva o nome do ex-presidente – R$ 12 milhões – e uma cobertura vizinha à residência do petista em São Bernardo de R$ 504 mil. As mensagens, segundo o delator, foram trocadas entre 8 e 9 de setembro de 2010. O documento cita o ‘Drousys’ – sistema de informática para comunicação do setor de propinas da empreiteira – e o ‘MyWebDay’ – software desenvolvido pela empreiteira para gerenciar contabilidade paralela. “(O arquivo) corrobora os pagamentos registrados nos sistemas MyWebDay e Drousys, conforme documentos juntados pelo colaborador e pelo Ministério Público Federal”, diz.

Só para ter uma ideia de como a revelação pegou a defesa de Lula com as calças na mão basta ver que seu principal argumento contra ela foi a de que o prazo para a entrega de provas venceu. Ou seja, nada de defesa concreta do ato, apenas o apelo a chicanas, fantasias e retórica ideológica. Nada disso vai salvar a pele de Lula neste processo. É uma péssima notícia para os advogados, mas estes puderam comemorar a saída do petista do alcance de Vallisney de Souza Oliveira para juízes considerados mais garantistas. Como diria Stanislaw Ponte Preta hoje, é o garantismo que assola o País.

Carolina Após se reunir ontemcom secretários da Segurança Pública dos três Estados que fazem divisa com o Rio de Janeiro, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, anunciou a assinatura de um protocolo de cooperação com o Estado de São Paulo para permitir que a Polícia Rodoviária Estadual, que responde à Polícia Militar, possa abordar veículos em rodovias federais que conectam o Estado ao Rio. Qual a relevância dessa medida para garantir a segurança no Brasil todo?

O protocolo permitirá que a polícia paulista atue na “repressão, fiscalização e multas que forem necessárias em hipóteses legais” nas Rodovias Dutra e Fernão Dias. Torquato garantiu que os direitos fundamentais serão respeitados e que não haverá “perturbação do livre fluxo das pessoas” que viajam na região. A reunião foi marcada na capital paulista após o temor de consequências da intervenção no Rio nos Estados vizinhos. Em coletiva de imprensa, Torquato afirmou que as autoridades não sabem “em que extensão a intervenção trará consequência para outros Estados”, mas que os efeitos são “muito prováveis”. O ministro afirmou que a eficiência da intervenção no Rio “será muito maior se trabalharmos todos juntos”.

SONORA_TORQUATO 2302

Uma semana depois da decretação da intervenção meia-boca na segurança do Rio, o governo federal continua agindo como barata tonta, sem saber, informar nem justificar nada. O melhor exemplo disso é a participação desinformada, atabalhoada e confusa do ministro da Justiça, que já teve anunciada a perda de metade da própria pasta para um ministério novo, o da Segurança Pública, do qual também ninguém é capaz de dizer nada. Estamos em pleno reino do improviso e do blábláblá.

Haisem É, mas o Exército mobilizou tropas de São Paulo e de Minas para cercar o Rio de Janeiro. Por enquanto só se vêem soldados armados e embalados por todos os cantos. Isso significa o quê?

Homens da 12ª Brigada de Infantaria (Aeromóvel), com sede em Caçapava (SP), no Vale do Paraíba, e da 4ª Brigada de Infantaria Leve (Montanha), localizada em Juiz de Fora (MG), foram usados na terça-feira, 20, para cercar as estradas BR-101, BR-116 e BR-040, que dão acesso ao Rio. A previsão é de que eles sejam mobilizados também para outras ações.

Os militares foram deslocados de seus quartéis nos Estados vizinhos até o Rio, onde foram montados os bloqueios. A decisão de usar essas tropas e deixá-las de prontidão para apoiar a intervenção federal no Rio se deve ao fato da proximidade dessas unidades às divisas estaduais.

A 12ª Brigada é a primeira unidade fora do Comando Militar do Leste (CML) a ser empregada na ação – a tropa de Minas é subordinada ao CML. A 12ª Brigada é subordinada ao Comando Militar do Sudeste (CMSE). O efetivo empregado não foi divulgado.

Em Brasília, Jungmann também falou sobre migração de bandidos

SONORA_JUNGMANN 2302

Apesar de ninguém ter sido informado ainda sobre para que isso serve, nós já sabemos que é apenas lorota do governo afirmar que a intervenção não é militar, mas é federal. É militar, sim. Seja o que for que isso signifique.

Carolina Mudando de conversa, um dia após a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, pautar para 22 de março o julgamento das ações que tratam do auxílio-moradia a juízes, a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) resolveu fazer uma consulta entre seus associados sobre a possibilidade de realizar uma paralisação da categoria. Isso tem algum amparo legal?

Juiz federal é servidor público e servidor público não pode fazer greve. A Ajufe, que não é sindicato, mas age como tal, antecipa-se ao julgamento do Supremo sem saber ainda qual é o resultado. Quem já viu isso? Juiz participando de um desafio à lei e protestando contra uma decisão que ainda não foi tomada. É o samba do magistrado insano. E isso está minando o grande prestígio que a magistratura amealhou na sociedade mercê das operações de primeira instância contra a corrupção. Eu, hein?

Haisem O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Paraná, Nelson Leal Júnior, adquiriu um apartamento de R$ 2,5 milhões em Balneário Camboriú, Santa Catarina. Quanto um funcionário desse porte pode ter ganho para fazer uma despesa destas?

Deste montante, o dirigente pagou cerca de R$ 500 mil em espécie ‘ou com recursos cuja origem não foi identificada’. Como se sabe no mundo civilizado, dinheiro em espécie sem origem é sinal de crime. Por isso, Nelson Leal Júnior foi preso na Operação Integração, 48.ª fase da Lava Jato, deflagrada ontem. A investigação apontou ‘evidências’ de que Nelson também ‘teve as despesas do aluguel de um iate de luxo custeadas por um empresário que prestava serviços de engenharia às concessionárias de pedágio’. A Integração investiga o pagamento de propina da concessionária Econorte, do grupo Triunfo, a agentes públicos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), do DER, do Paraná, e da Casa Civil do Governo do Estado. A empresa teria usado os operadores financeiros Adir Assad e Rodrigo Tacla Duran para fazer os repasses. Este último está foragido e vive sendo citado pelo PT como testemunha contra a lisura do juiz Sérgio Moro, que condenou Lula. Ou seja, a notícia não seria boa para os advogados do petista, se eles tivessem contato com a realidade.

Carolina Mas ontem foi o dia também não foi bom para o PSDB. Você tem razões para dizer isso além da investigação sobre a gestão no Estado do Paraná de Beto Richa, filho do tucano histórico José Richa?

É que, com a intervenção no Rio, o emedebista Michel Temer comprovou que não morreu politicamente. E principalmente Paulo Preto, operador tucano em São Paulo, foi flagrado com 113 milhões de reais em contas que migraram da Suíça para as Bahamas. As informações sobre as contas em nome de Souza estão na decisão em que a juíza federal Maria Isabel do Prado autorizou o bloqueio do montante e o estabelecimento de uma cooperação internacional entre o Ministério Público Federal e a Suíça para recuperar os valores. Autoridades suíças encontraram R$ 113 milhões em quatro contas no país europeu em nome do ex-diretor da Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) Paulo Vieira de Souza, Paulo Preto. Ele foi diretor da estatal paulista entre 2007 e 2010, durante governo do PSDB.

As informações sobre as contas em nome de Souza estão na decisão em que a juíza federal Maria Isabel do Prado autorizou o bloqueio do montante e o estabelecimento de uma cooperação internacional entre o Ministério Público Federal e a Suíça para recuperar os valores.

A decisão é de 17 de outubro do ano passado e foi tornada pública ontem.  É dinheiro demais, mais do que o dobro do que foi encontrado no apartamento atribuído aos Vieira Lima em Salvador. O relator do processo no STF é Gilmar Mendes. Pelo visto, não vai ser fácil a condenação de seu principal acusado, José Serra, tirar o zero das condenações em última instância de réus da Lava Jato e por fim à impunidade tucana geral. Não há histórico de tucanos presos. Meu palpite é que tudo continuará como dantes no cartel de Abrantes, mas com a volta do quartel de Abrantes agora.

Haisem O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou estar “contemplando” a possibilidade de se candidatar à Presidência da República em entrevista à Rádio Itatiaia, de Minas Gerais ontem. Isso não mudaria alguma coisa nessa história do cartel de Abrantes?

“Acho que a etapa como ministro da Fazenda é uma etapa cumprida. Estamos agora contemplando essa nova etapa de uma possível candidatura à Presidência”, disse.

ainda não tomou uma decisão sobre sua candidatura nas eleições deste ano. “Certamente, dentro de 40 dias ou pouco mais tomaremos decisão de continuar no serviço público, mas aí ampliando bastante o escopo. Podendo colaborar com o País de forma mais eficaz e abrangente. E levar isso que está acontecendo na economia a todos os setores da vida dos brasileiros”, completou. Contemplar é ver à distância. A candidatura ainda está longe.

Carolina Segundo o site O Antagonista, Dias Toffoli engavetou pedido do delegado Hiroshi Ishida para ouvir a senadora Gleisi Hoffmann no inquérito do caso “Consist”. Será que ele tem esse topete?

Gleisi e o marido Paulo Bernardo são investigados por recebimento de propina de contratos da empresa com o Ministério do Planejamento.

O pedido é de 13 de abril de 2017. Ou seja, está para apagar velinha. Como O Antagonista, cito o livro de Gabeira, que brilha na página 2 do Estadão hoje, O que é isso, companheiro?

Haisem O que o prefeito do Rio Marcelo Crivella disse depois de voltar da Europa, onde passou o carnaval, sobre as enchentes que afligiram o Rio estes dias que tem gerado tanta revolta nas redes sociais?

De acordo com informações do jornalista Bernardo Mello Franco, Crivella fez piada sobre o assunto, dizendo que um novo programa seria criado: o ‘Balsa Família’. “Lá em São Paulo também tem enchente. Vão até lançar um programa novo: o Balsa Família!” — disse ele. Ele, que não estava no Rio durante os dois temporais que atingiram a cidade, foi alvo de críticas nas redes sociais. Ontem, à tarde, a ‘Balsa Família’ do prefeito trapalhão estava em quarto lugar entre os assuntos mais comentados no Twitter.

SONORA Cidade Lagoa Moreira da Silva