Inútil sigilo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inútil sigilo

Em 66 anos, Congresso não cumpriu dever de regulamentar eleição indireta após impeachment

José Nêumanne

20 Dezembro 2016 | 11h05

Gilmar Mendes prega distinção entre Caixa 2 e corrupção

Gilmar Mendes prega distinção entre Caixa 2 e corrupção e punição para quem vazar delações

O sigilo na negociação das delações premiadas foi imposto nas leis que as instituíram, assinadas por Fernando Henrique e Renan Calheiros e por Dilma Rousseff e Martins Cardozo, foi motivado pela necessidade de proteger os candidatos ao instituto, mas, na prática, tem sido adotado para poupar os delatados – e, assim mesmo, por um prazo curto. Tendo, portando, a concordar com Janot, que prega seu fim, e não com Zavascki, que reclama dos vazamentos que o quebram. Mais dia menos dia, o teor termina sendo público. Não há motivo, portanto, para manter esse suspense e o discurso de que a quebra do sigilo viola a lei, mesmo porque isso já ocorreu várias vezes e não há memória de ninguém apenado.

(Comentário no Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 –  terça-feira 20 de dezembro de 2016, às 7h14m)

Para ouvir clique no link abaixo e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul