E a culpa é da lei?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E a culpa é da lei?

Lula vai ao local do crime, Comperj, reclamar da paralisação de obras em que a Petrobrás foi roubada

José Nêumanne

07 Dezembro 2017 | 17h41

Lula ousou ir à Comperj, em Itaboraí, RJ, para reclamar da paralisação das obras superfaturadas Foto: Fábio Motta/Estadão

Perdoe-me a insolência do uso de palavras grandes e complicadas, mas somente estratosférico e escalafobético são capazes de definir o absurdo da caradura de um cidadão chamado Luiz Inácio Lula da Silva que, depois de ser acusado pelo TCU de ter sido o responsável por um prejuízo de, no mínimo, R$ 1,8 bilhão em refinarias da Petrobrás, disse diante de uma delas, a Comperj, que “a Lava Jato quebrou o Rio”. Só que ele deu uma excelente chance para que eu venha aqui afirmar, sem medo de errar, que ele é que quebrou o Rio com a ajuda luxuosa de Sérgio Cabral. Em matéria de cinismo, aliás, só concorrem com ele Gilmar Mendes, que acha que nem flagrante devia permitir a prisão de parlamentar, e Luís Fux, que defendeu descaradamente a censura na própria posse como presidente do TSE no lugar do mesmo Gilmar. Valha-nos Nossa Senhora! Estes são alguns dos temas comentados por mim no Estadão às 5 de quinta-feira 7 de dezembro de 2017, às 17 horas, transmitido pela TV Estadão do estúdio no centro da redação do jornal, ancorado por Emanuel Bomfim e retransmitido pelas redes sociais Youtube, Twitter, Periscope Estadão e Facebook.

Para ver a primeira parte do vídeo clique aqui

Para ver a segunda parte do vídeo clique aqui