De volta às ruas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

De volta às ruas

Povo foi às ruas chorar por Marielle, mas tentativas de politização da tragédia da mártir certamente não serão recebidas com simpatia

José Nêumanne

16 Março 2018 | 14h20

Manifestantes acenderam velas numa manifestação de fé acima dos credos ideológicos. Foto: Wilton Júnior/Estadão

Meu Direto Ao Assunto abriu o Podcast Comentaristas do Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na manhã de sexta-feira 16 de março de 2016 com os seguintes temas: assassinato de Marielle e do motorista pode ter motivado a volta das massas à rua no Brasil e, então, seus assassinos podem ter dado um tiro no pé; tudo indica que milícia é responsável pela execução, se for verdade, é uma declaração de guerra, um desafio à intervenção militar e ao governo federal, que a promove; Marun disse que só imbecil esperava que a violência do Rio fosse acabar em 30 dias; Justiça aceita denúncia contra Picciani, Melo e Albertassi, a cúpula do MDB de Temer no Rio conflagrado; depois de se dizer pronto para ser preso em livro sobre sua luta na justiça, agora Lula afirmou que ficará livre; aos quatro anos de existência, Lava Jato está ameaçada pelo fim da prisão após segunda instância, a ser decidada pelo STF/  Judiciário gasta 84.8 bilhões por ano e fim do auxílio-moradia traria economia de R$ 1,6 bilhão; e fundo eleitoral banca leilão de deputados na janela de trocas e dirigentes partidários planejam estender a medida a vereadores e prefeitos. Alexandre Garcia comentou: o moovimento de juízes federais e ministério público; ex-senador Gim Argelo tentou enganar a Justiça; e cerca de 90 vereadores e prefeitos foram assassinados nas últimas décadas. Eliane Cantanhêde falou do mês de aniversário da intervenção na segurança do Rio, sob dúvidas e pressões por resultados; morte de Marielle repetiu o caso da juíza Patrícia Acioly, morta em 2011 por que A tragédia desta vez ganhou tanta repercussão, inclusive internacional; a súbita e impressionante manifestação nas ruas; e os efeitos políticos e as tentativas de politização do caso. Em Direto Da Fonte, Sonia Racy abordou a pressão para que Cármen Lúcia reveja prisão após 2ª instância.

Para ouvir clique aqui