Barbas de molho
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Barbas de molho

Depois do aviso de Gilmar Mendes de que depois do preso A viria o preso B é generalizado pânico entre os mandachuvas da República com a prisão de Lula que mostrou que a Operação Lava Jato subiu um patamar

José Nêumanne

06 Abril 2018 | 13h11

Lula e seu advogado, Zanin, no carro que o levou de volta ao nsindicato dos velhos tempos Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Meu Direto ao Assunto abriu o Podcast Comentaristas do Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na manhã da sexta-feira 6 de abril de 2018 com os seguintes assuntos: muita gente boa está reclamando da celeridade com que o juiz Sérgio Moro decretou a prisão de Lula, inclusive o próprio réu, que disse que sua prisão seria o “sonho de consumo” do juiz, mas os fatos não comprovam essa acusação; a prisão de um líder político da importância de Lula é o fim de uma era, o começo de outra e também um marco relevante no combate mundial à corrupção; o que levou Lula à condição de presidente mais popular da História e político ainda relevante, apesar dos reveses de seu partido, e que agora o está levando à prisão: os papéis que Lula desempenhou na vida, líder sindical pragmático, político revolucionário, grande conciliador, mártir e agora vítima, estão sendo substituídos pela fantasia de mártir candidato ao ostracismo; a prisão de Lula pode ajudar, mas também pode atrapalhar a luta do Brasil para sair do atoleiro da crise neste momento de grande tensão política e ideológica; as consequências da prisão de Lula no conturbado processo eleitoral de outubro; não há mais condições práticas para o PT inscrever a candidatura de Lula para disputar a eleição presidencial deste ano: e as chances de Lula ser libertado rapidamente por algum tribunal superior o mais rapidamente possível. Ethevaldo Siqueira falou sobre realidade virtual. Em Direto da Fonte, Sonia Racy abordou a percepção no STF é que no fim tudo deu certo. Alexandre Garcia comentou as razões da Justiça para a  prisão de Lula; as ameaças de reação ao cumprimento da pena; e o significado da presença de Lula no Sindicato dos Metalúrgicos. E Eliane Cantanhêde avaliou  o significado e os efeitos políticos da prisão de Lula, que são devastadores para o PT, mas os demais partidos estão de barbas de molho, pois, afinal, a fila é grande; aliás, hoje já tem novidade na seara dos tucanos; entregar-se ou não, eis a questão e por que a defesa e os petistas divergem; a estratégia será transformar Lula em vítima política – do Moro, do Supremo, das elites, da direita… e assim, causar comoção internacional e o efeito interno disso.

Para ouvir clique aqui