Copa do Mundo no Qatar: "Vitória do islã sobre a América"

Marcos Guterman

10 Dezembro 2010 | 00h15

O xeque Yousef Al-Qaradhawi, chefe da União Internacional dos Estudiosos Muçulmanos, considerou a escolha do Qatar para sediar a Copa do Mundo de 2022, em detrimento dos EUA, como uma vitória do islã sobre os americanos.

Em sermão transmitido pela TV catariana, Al-Qaradhawi afirmou que pediu a Deus que eliminasse os EUA da disputa e que o Qatar vencesse. “Foi a primeira vez que o Qatar derrotou a América em alguma coisa”, declarou.

O xeque negou que seu país tenha comprado votos e criticou o presidente americano, Barack Obama, por ter dito que a escolha do Qatar havia sido uma “decisão errada” da Fifa. “Isso demonstra que a América quer o monopólio de tudo. Essas pessoas são as mais arrogantes da face da Terra. Eles se recusam a permitir que nós tenhamos algo. Querem ter o monopólio da política, o monopólio sobre a economia, o monopólio sobre as armas, o monopólio sobre futebol e outros esportes, o monopólio sobre tudo, sem nos deixar qualquer coisa, como se não fizéssemos parte deste mundo.”

Mais conteúdo sobre:

Copa do Mundo