1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Tucanos não esperavam pedido de pena tão alta para Azeredo

sábado 08/02/14

Depois da repercussão da condenação e prisão de importantes políticos petistas pelo escândalo do mensalão, dirigentes tucanos já previam que o procurador geral República, Rodrigo Janot, pediria punição ao Supremo Tribunal Federal (STF) para o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG) pela participação no chamado mensalão mineiro. Embora confiem na inocência do ex-governador de Minas Gerais, […]

Depois da repercussão da condenação e prisão de importantes políticos petistas pelo escândalo do mensalão, dirigentes tucanos já previam que o procurador geral República, Rodrigo Janot, pediria punição ao Supremo Tribunal Federal (STF) para o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG) pela participação no chamado mensalão mineiro. Embora confiem na inocência do ex-governador de Minas Gerais, os líderes tucanos sabiam que esse risco era real.

O que surpreendeu a cúpula do PSDB foi o pedido de pena de 22 anos para Azeredo. Primeiro porque não é praxe que o procurador sugira uma dosimetria (o tempo de pena) no pedido enviado ao Supremo. Segundo, que consideraram a pena de 22 anos elevada demais. Janot está pedindo prisão para Azeredo pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro.

Na guerra eleitoral entre tucanos e petistas não param de surgir novas munições. Os petistas agora podem usar o caso de Azeredo. Os tucanos, que já falavam dos condenados pelo Supremo, agora têm a captura do fugitivo Henrique Pizzolatto e a renúncia do agora ex-deputado João Paulo Cunha (PT-SP). Assim, o Fla-Flu do mensalão não acaba nunca e parece que o ano de 2005, quando o escândalo estourou, também não termina.