1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

MARCELO DE MORAES participa da cobertura de política e economia em Brasília desde 1993. Atualmente é o diretor da sucursal de O Estado de S.Paulo na capital, tendo trabalhado em outros importantes veículos de comunicação do País, como O Globo, Veja, Jornal do Brasil, Valor Econômico, Correio Braziliense, entre outros.
terça-feira 23/12/14 16:34

Novo ministério de Dilma só mudará, de fato, na área econômica

A presidente Dilma Rousseff definiu nessa terça-feira a maior parte de sua futura equipe ministerial para iniciar o segundo mandato. Mexe daqui, coloca de lá, e seu primeiro escalão terá uma cara tremendamente parecida com o perfil de seus auxiliares no primeiro governo. Exceção apenas na equipe econômica, onde o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, é um fiscalista, com atribuição de cortar gastos e se alinhava com os líderes tucanos até pouquíssimo atrás. Sua entrada e a de Nélson Barbosa, ...

Ler post
quinta-feira 04/12/14 12:00

Votação de mudança da meta fiscal mostra uma oposição mais ativa

É possível marcar no calendário a última vez que a oposição impôs uma derrota relevante ao governo petista desde que o grupo passou a administrar o País, em 2003, com a posse do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foi na votação da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), no Senado, em 13 de dezembro de 2007. Ao se organizar com dissidências da base aliada, a oposição, encabeçada até mais pelos senadores do DEM do que do ...

Ler post
quarta-feira 26/11/14 11:21

Eduarda La Rocque poderá ser a primeira mulher a ocupar a Secretaria do Tesouro

Eduarda La Rocque na caminha pelo clima, em Nova York em foto publicada na página da economista no Facebook

[caption id="attachment_667" align="alignnone" width="300"]Eduarda La Rocque na caminhada pelo clima, em Nova York em foto publicada na página da economista no Facebook Eduarda La Rocque na caminhada pelo clima, em Nova York em foto publicada na página da economista no Facebook[/caption] Depois de escolher Joaquim Levy para comandar o Ministério da Fazenda durante seu segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff poderá ter, pela primeira vez, uma mulher ocupando um cargo estratégico na equipe ...

Ler post
segunda-feira 24/11/14 11:29

Carlos Guedes deve ir para Desenvolvimento Agrário e Rossetto para Secretaria Geral

Mesmo sem anunciar nenhum nome oficialmente, a presidente Dilma Rousseff segue avançando na montagem de sua equipe ministerial para o segundo mandato. Depois de escolher Joaquim Levy para a Fazenda, Nelson Barbosa para o Planejamento, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) para o Desenvolvimento, Indústria e Comércio, e a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para a Agricultura, a presidente já tem praticamente definidas mais duas escolhas. O atual ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, será deslocado para a Secretaria Geral da Presidência no lugar de Gilberto Carvalho. Para seu lugar no Desenvolvimento Agrário o escolhido será Carlos Guedes, atual presidente do Incra.

A opção pelos dois nomes não é a toa. Ambos são ligados aos setores mais de esquerda do governo. Suas escolhas, dessa forma, funcionariam como um gesto em direção a esses grupos como uma maneira de amenizar as reclamações feitas pelas indicações de Levy, Kátia e Armando, considerados muito próximos do mercado e dos setores produtivos.

Assim, a parte da reforma que será anunciada essa semana deverá ser ampliada para acrescentar dois nomes com perfis mais à esquerda e contrabalançar as quatro indicações anteriores, que formarão uma espécie de espinha dorsal da nova equipe econômica de Dilma.

O problema é que não são apenas os setores à esquerda do governo que se aborreceram com as primeiras escolhas – até agora não anunciadas – feitas por Dilma. No PMDB, existe grande insatisfação pela ida de Kátia Abreu para a Agricultura. A ideia de nomear a senadora passa por um aceno ao setor do agronegócio, já que ela preside a Confederação Nacional da Agricultura (CNA). Só que mesmo nesse segmento existem resistências ao seu nome. Mas o pior é que a indicação foi feita sem o aval do vice-presidente Michel Temer, presidente nacional do PMDB.

Nas conversas iniciais, a tendência seria a de manter o atual ministro Neri Geller no posto, o que agradava aos pemedebistas e a representantes importantes do setor, como o senador Blairo Maggi (PR-MT). Com a mudança de planos, as queixas de aliados apareceram rapidamente.

Outro problema surge com a nomeação de Armando Monteiro. A ideia original era de não nomear para o governo nenhum dos candidatos ao governo que foram derrotados. Assim, fugiria-se do estigma que atrapalhou o primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de nomear candidatos derrotados dando ministérios como forma de compensação em vez de escolher pessoas consideradas como as melhores para a função. Armando disputou e perdeu, com o apoio do PT, o governo de Pernambuco. Sua ida para o primeiro escalão reabre uma possibilidade que parecia distante de se criar vagas para candidatos perdedores, como o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, por exemplo, que concorreu em São Paulo.

 

Ler post
sexta-feira 21/11/14 16:34

Governo adia anúncio de novos ministros, mas Levy deve assumir Fazenda

A presidente Dilma Rousseff deverá anunciar o ex-secretário do Tesouro Joaquim Levy como próximo ministro da Fazenda e Nelson Barbosa no Planejamento. Mas o anúncio vai esperar possivelmente até segunda-feira. Dilma não fechou todos os detalhes de suas amarrações e decidiu que isso não será mais feito hoje. A informação do adiamento foi confirmada pela Secretaria de Comunicação do governo.

Ler post
sexta-feira 21/11/14 15:24

Senador Armando Monteiro deve assumir Desenvolvimento, Indústria e Comércio

Derrotado na disputa pelo governo de Pernambuco, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) deverá ser o próximo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Ele se reuniu nessa sexta-feira com a presidente Dilma Rousseff para acertar sua entrada no governo na pasta que foi comandada pelo governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e está sendo ocupada atualmente por Mauro Borges. Ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Monteiro ajuda a somar credbilidade ao governo de Dilma. Ligado diretamente ao setor produtivo, ele ...

Ler post
quinta-feira 20/11/14 13:24

Conselheiro de Lula e amigo de Dilma, ex-ministro apagava incêndios no governo

No fim de 2002, quando foi convidado pelo então presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva para assumir o primeiro Ministério da Justiça de um governo petista, Márcio Thomaz Bastos esperava desafios importantes. Mas, certamente, não imaginava que assumiria, a partir dali, o papel de conselheiro especial de Lula e a função de uma espécie de decano a ser consultado sempre que situações complicadas surgissem. Mesmo depois de deixar o governo, a amizade que tinha desenvolvido com Lula também já tinha se ampliado ...

Ler post
quinta-feira 13/11/14 11:20

Racha no PT aumenta risco de derrota na eleição pela prefeitura de São Paulo

Como não bastassem as dificuldades enfrentadas nos seus dois primeiros anos de mandato como prefeito de São Paulo, que desgastaram imensamente sua popularidade, Fernando Haddad enfrenta agora uma adversária de peso na tentativa de consolidar sua candidatura à reeleição. Mesmo sem declarar publicamente, a senadora Marta Suplicy, que foi prefeita da capital paulista, deseja disputar novamente essa eleição. Por conta disso, sua carta de demissão do Ministério da Cultura já trouxe um discurso crítico à condução da economia pelo governo ...

Ler post
terça-feira 11/11/14 11:38

Em recado duro, Marta Suplicy deixa Cultura pedindo resgate da ‘confiança’ na economia

Na difícil temporada de reformulação de sua equipe ministerial para o segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff acaba de receber um ingrediente extra para ampliar suas dificuldades. Na sua carta de demissão, entregue hoje ao governo, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, deixou o cargo cobrando o resgate da "credibilidade e confiança" na escolha da próxima equipe econômica. O conteúdo da carta, revelado pelo Blog da Sonia Racy, mostra uma Marta Suplicy disposta a reassumir sua cadeira no Senado com um ...

Ler post