1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JULIA DUAILIBI é jornalista, trabalhou nas redações de Veja, Folha de S. Paulo e Estadão, em Brasília e em São Paulo.
quarta-feira 22/10/14 16:27

A culpa é sempre do marqueteiro

Coisa mais comum em campanha é o marqueteiro virar alvo dos políticos quando algo começa a não se sair tão bem num comitê. Nos bastidores, o marqueteiro de Aécio Neves (PSDB), Paulo Vasconcelos, tornou-se por ora o alvo preferido dos tucanos, na esteira das duas pesquisas Datafolha que colocam Dilma Rousseff (PT) numericamente na frente do tucano. Embora, no geral, os aliados políticos de Aécio questionem as pesquisas (eles afirmam que os levantamentos internos mostram outro cenário - tracking concluído ontem ...

Ler post
terça-feira 21/10/14 12:39

Tucanos apostam em desempenho de Aécio no debate

Após resultado do Datafolha, que aponta inversão no quadro eleitoral com Dilma Rousseff (PT) liderando numericamente a corrida, o comitê de Aécio Neves (PSDB) tem agora uma missão difícil: paralisar o que parece ser uma onda pró Dilma bem na reta final da campanha. A tarefa é complicada, principalmente num cenário em que o TSE criou nova jurisprudência e proibiu as campanhas publicitárias no rádio e na TV com ataques. O discurso crítico contra Dilma e contra corrupção ...

Ler post
sexta-feira 17/10/14 20:16

Baixaria de Aécio e Dilma legitima comportamento do eleitor

Os candidatos Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), ao protagonizarem situações patéticas como o debate de ontem, no SBT/UOL, colocam mais lenha na fogueira entre petistas e tucanos, Brasil afora. A baixaria que os dois promoveram legitima a pancadaria que já corre solta na rede há meses e que, agora, parece chegar de maneira perigosa às ruas. É bom que as pessoas estejam envolvidas com política, num País em que o eleitor geralmente não lembra o nome do deputado federal ...

Ler post
quinta-feira 16/10/14 22:46

Aécio e Dilma: UFC eleitoral

A depender da escalada de agressões nos debates, chegaremos ao final da eleição com os dois candidatos à Presidência trocando sopapos na frente das câmeras. Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) praticamente perderam a compostura e protagonizaram o embate mais duro feito nesta eleição até agora, durante o encontro de hoje no SBT – e olha que o anterior, na Band, na última terça-feira, já havia sido um duelo e tanto.

Além do “arroz com feijão” dos últimos confrontos (troca de acusações sobre corrupção e sobre quem investiga e quem joga para baixo do tapete, discussão a respeito da paternidade dos programas sociais e índices econômicos), o bate boca descambou para os familiares, tema que parecia um clássico do passado, numa distante eleição de 1989.

Sentados frente a frente como se estivessem numa audiência de conciliação na Justiça, Dilma e Aécio pareciam mais um casal que queria lavar mesmo a roupa suja. A petista dava bronca em Aécio, levantando o dedo e a voz. O tucano não se acuava. Foi para cima da candidata. Conseguiu se sair melhor que no encontro anterior, quando abusou da ironia e passou uma imagem de arrogância.

Se no debate passado Dilma tirou da manga uma acusação de nepotismo envolvendo familiares de Aécio, dessa vez levou o caso do bafômetro, quando o tucano foi parado numa blitz no Rio e se recusou a fazer o teste. É a estratégia de combate do PT: deixar sempre o adversário no escuro, no suspense, sem saber o que vai aparecer pela frente. Mas o que poderia ser um gol para a petista acabou sendo uma falha: ela fez a insinuação sobre Aécio no episódio, mas não perguntou diretamente ao tucano a razão dele ter se recusado a fazer o teste. Ficou feio.

O PSDB aderiu ao modus operandi petista e tirou da cartola informações novas contra a adversária, como a do emprego de Igor Rousseff, irmão da candidata, na Prefeitura de Belo Horizonte. Provavelmente, o endurecimento das acusações deve chegar agora aos programas de Aécio no rádio e na TV, onde ele estava adotando um tom mais ameno contra a candidata. O empate técnico das últimas pesquisas fez crescer a cobrança no PSDB por uma postura mais dura do candidato.

O “olho por olho, dente por dente” tornou o confronto tenso e constrangedor e não contribuiu para o eleitor indeciso definir o voto. Cada um acabou jogando para sua plateia, que vibrava nas redes sociais a cada golpe baixo. Quem não curte UFC ganhou mais voltando para a novela.

 

Ler post
quarta-feira 15/10/14 11:44

Eleitor precisa de tira-teima em tempo real

O debate da noite de ontem na Band, o primeiro do segundo turno, deveria ser apresentado com uma espécie de tira-teima em tempo real para o eleitor. Foram tantas as declarações do tipo “o candidato falta com a verdade” ou “é mentira da candidata”, que ficou difícil para o eleitor depurar o que era fato em meio ao mar de acusações. A candidata do PT, Dilma Rousseff, pontuou ao imprimir sua agenda e trazer o candidato do PSDB, Aécio Neves, para ...

Ler post
terça-feira 14/10/14 11:12

PT cobra Haddad por derrota de Padilha

O clima entre o PT e o prefeito Fernando Haddad azedou. Na sexta-feira passada, o presidente estadual do partido, Emidio de Souza, e o ex-candidato petista ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, foram à Prefeitura fazer um balanço da campanha com o prefeito. Depois de certo tempo de conversa, os ânimos ficaram exaltados, a ponto de assessores terem percebido o clima ruim. O prefeito levantou a voz para Emidio, que cobrava a fatura da derrota de Padilha. Os petistas acham ...

Ler post
terça-feira 07/10/14 13:34

Antecipar Arminio como ministro só serviu para dar munição ao PT

O candidato do PSDB, Aécio Neves, errou ao se antecipar e nomear Arminio Fraga, ex-presidente do BC, como ministro da Fazenda em uma eventual gestão sua. O tucano anunciou a medida durante o debate da Band, ainda no primeiro turno, quando Marina Silva (PSB) começava a crescer e a arrancar votos de eleitores que tradicionalmente votam no PSDB. Aécio tentou estancar a corrente de votos para a candidata do PSB e fez uma sinalização para o seu público. Ao que parece ...

Ler post
segunda-feira 06/10/14 12:00

Alckmin e Aécio: forças antagônicas dentro do PSDB

Ao lado da candidata do PSB, Marina Silva, o governador reeleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, é o principal derrotado com a passagem de Aécio Neves (PSDB) para a segunda etapa da disputa presidencial, independentemente da vitória de ontem no primeiro turno. Até o mês passado, o terceiro lugar de Aécio nas pesquisas projetava Alckmin como a maior liderança do PSDB no pós-eleição e candidato à Presidência em 2018. Agora, torna-se inevitável a polarização. Se quiser se manter na disputa ...

Ler post
domingo 05/10/14 11:37

Sem grande marca, Alckmin se torna ‘case’ eleitoral

Análise publicada no caderno Especial Eleições, do Estadão. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), tornou-se uma espécie de “case” eleitoral na disputa de 2014. Com 57% dos votos válidos na última pesquisa Ibope, o tucano pode ser reeleito neste domingo, já no 1.º turno, apesar dos trancos e barrancos pelos quais passou a sua administração. A provável vitória dará a Alckmin um portfólio de 13 anos na condução do governo paulista. É um recorde que não se traduz em ...

Ler post