As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Após outro caso de celebridade em cabine de voo, Anac alerta empresas aéreas

Julia Duailibi

06 Junho 2013 | 15h50

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) instaurou processo administrativo para apurar a presença de Flora Gil, mulher do cantor Gilberto Gil, em uma cabine de comando de um avião da Azul. Há cerca de um mês, Flora postou fotos no Instagram, nas quais aparece dentro da cabine, sentada, com os cintos afivelados e usando o rádio comunicador. O piloto e o copiloto estão em seus assentos, e o avião está em rota. Em uma das fotos, há uma imagem da pista de pouso, tirada de dentro da cabine, com o avião em voo. Em outra, a mulher de Gil aparece em cadeira que fica atrás da dos pilotos. Ela escreveu: “Em mais um voo delicioso na Azul”.

Segundo o Regulamento Brasileiro de Aviação Civil, apenas tripulação, inspetores de aviação civil, detentores de certificados autorizados pela Anac e comandante podem acessar a cabine de comando de uma aeronave durante o voo.

Procurada, a Azul confirmou que foi notificada pela Anac e admitiu que “flexibilizou” a regra ao deixar Flora Gil viajar na cabine. “Na ocasião, a passageira estava sentada na posição de observadora, e a companhia flexibilizou o acesso dos convidados à cabine de comando em função da própria característica do voo”, informou a companhia, alegando se tratar de um voo fretado para Comandatuba, onde ocorre anualmente um encontro de empresários.

De acordo com a Anac, após a conclusão do processo administrativo, serão adotadas as medidas cabíveis, caso comprovadas irregularidades em relação às normas da aviação civil. As multas podem variar de R$ 2 mil a R$ 5 mil para o piloto em comando e de R$ 4 mil a R$ 20 mil para a empresa aérea responsável.


A agência também informou que “tendo em vista as últimas ocorrências de presença de passageiros nas cabines de aeronaves divulgadas pela mídia” enviou na terça-feira um comunicado formal aos diretores de operações de empresas “para recomendar que façam um alerta à tripulação, em especial aos comandantes de aeronaves comerciais, sobre a restrição de acesso à cabine de comando em voo”.

Em maio, a Anac abriu um processo contra a TAM para apurar a presença do cantor Latino em um voo da companhia. Em fotos que também foram postadas nas redes sociais, o artista apareceu sentado na cadeira do comandante com o avião em pleno voo. A companhia aérea anunciou a demissão do piloto, do copiloto e do comissário responsável pelo voo.

Veja abaixo as fotos postadas no Instagram.

Atualizado às 19h20

flora1.PNG

 

flora2_1.PNG

flora3.PNG