1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JULIA DUAILIBI é jornalista, trabalhou nas redações de Veja, Folha de S. Paulo e Estadão, em Brasília e em São Paulo.
terça-feira 26/03/13 18:32

Aécio intensifica agenda em SP

Depois de participar do evento em São Paulo anteontem em que foi saudado como presidenciável do PSDB, o senador Aécio Neves (MG) já prepara nova agenda pelo Estado, maior colégio eleitoral do País. Os tucanos paulistas querem levar Aécio para Campinas e Santos, duas das maiores cidades paulistas, ainda em abril. Para o público externo, os líderes do partido criticam a antecipação da campanha eleitoral deste ano, mas nos bastidores avaliam que ela pode ser positiva para o senador se tornar ...

Ler post
domingo 24/03/13 20:31

Alckmin pede ajuda a PT em discussão sobre ICMS

O deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), líder do governo na Câmara, e o senador Walter Pinheiro (PT-BA), reuniram-se no final da tarde de domingo com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), no Palácio dos Bandeirantes, para discutir a Medida Provisória 599, que prevê alterações na cobrança do ICMS para acabar com a guerra fiscal, e o projeto que cria novos critérios para divisão dos recursos do Fundo de Participação dos Estados (FPE). A MP prevê que a União compense perdas dos Estados decorrentes ...

Ler post
sexta-feira 22/03/13 22:13

FHC entra em campo e tenta costurar acordo no PSDB

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso reunirá na próxima segunda-feira, em São Paulo, a direção do PSDB para tentar construir um acordo sobre a formação da nova direção do partido, que será eleita em maio. A reunião será no iFHC, no centro da capital paulista, às 10h30 da manhã. Participarão do encontro o presidente do partido, deputado Sérgio Guerra (PE), o senador e presidenciável tucano, Aécio Neves (MG), e dois integrantes do PSDB ligados a Serra: o senador Aloysio Nunes Ferreira ...

Ler post
quarta-feira 20/03/13 20:54

Campos e a montagem de um discurso híbrido

O presidenciável e governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), tentará construir uma candidatura híbrida, com um pé no governismo (afinal o partido é da base da presidente Dilma Rousseff e tem dois ministérios na Esplanada) e outro na oposição. Na prática, intensificará a maneira como vem se comportando até agora.

Campos quer manter a imagem de um candidato de centro-esquerda, por isso não pode se afastar muito do governo, que se apropriou desse rótulo. Não quer ser dragado para o pólo oposto ao de Dilma Rousseff, candidata à reeleição e cujo governo tem aceitação popular. Mas o governador sabe que, para se tornar viável eleitoralmente, se resolver disputar o Palácio do Planalto em 2014, vai precisar avançar na preferência de eleitores mais conservadores que hoje votam no PSDB. Na briga pelo segundo turno na eleição de 2014, tomando como base o quadro hoje, Campos teria de disputar uma vaga com Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (Rede) – Dilma provavelmente ocupará a outra vaga. Para ampliar os votos, teria de avançar em direção aos eleitores que sustentam essas duas candidaturas de oposição.

Campos já mantem contato com os tucanos. Tem boa relação com os economistas da Casa das Garças, centro de estudos de política econômica no Rio, do qual fazem parte ex-integrantes do governo FHC, como Pedro Malan. Tem, inclusive, procurado se aconselhar com alguns deles. Em São Paulo, seu partido é da base de Geraldo Alckmin, com seu amplo consentimento. Campinas é a principal prefeitura do PSB no Estado, e o prefeito Jonas Donizette é frequente interlocutor entre os mundos tucano e pessebista. Alckmin, candidato à reeleição, poderia inclusive dar um palanque extraoficial ao candidato do PSB no maior colégio eleitoral do País.

Recentemente, o governador de Pernambuco manteve duas conversas com o presidente do PPS, Roberto Freire, partido de oposição a Dilma e tradicionalmente alinhado ao projeto tucano, que agora flerta com a sua candidatura – o ex-governador José Serra, por exemplo, foi convidado a ingressar na legenda de Freire, onde poderia apoiar a candidatura de Campos, caso não haja a convergência no PSDB para o projeto de Aécio.

De certa forma, Campos já sinaliza para o eleitor simpático ao PSDB. Em conversas com o PIB paulista, critica a condução da política econômica de Dilma Rousseff e se coloca como uma alternativa ao atual modelo.

Em 2006, disputou a eleição em Pernambuco contra Mendonça Filho (DEM), candidato da situação apoiado pelo ex-governador Jarbas Vasconcelos (PMDB), e Humberto Costa (PT). Com pouco tempo de TV, ganhou a corrida ao ficar como uma espécie de terceira via. Era contra o governo de Jarbas, mas não era visto como “o” candidato antigovernista.

Na semana que vem, Campos se encontrará com Dilma em Pernambuco. Certamente será hora de deixar em banho-maria esse discurso mais híbrido. O governador, anfitrião do encontro, enaltecerá os feitos do governo petista e a “relação republicana” com o governo federal. Por enquanto, as críticas ao governo ficam para os bastidores. Principalmente nos encontros com empresários, quando os ataques à política econômica são muito bem recebidos.

 

Ler post
terça-feira 19/03/13 17:23

Alckmin pede ajuda a parlamentares para divulgar mandato

Em almoço com os deputados federais paulistas do PSDB, ontem, no Palácio dos Bandeirantes, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) pediu aos parlamentares que os feitos do governo sejam divulgados aos prefeitos do interior paulista. O tucano quer que os prefeitos estejam mais sintonizados com as ações e investimentos do Estado nas suas regiões. Alckmin, candidato à reeleição em 2014, também passou a se encontrar semanalmente com grupos de dez a quinze prefeitos no Palácio dos Bandeirantes. A avaliação política dos tucanos ...

Ler post
segunda-feira 18/03/13 20:01

PMN ainda resiste a fusão com PPS

O PMN ainda não bateu martelo sobre uma eventual fusão com o PPS. Em jantar no sábado com o presidente do PPS, Roberto Freire, a secretária-geral do PMN, Telma Ribeiro, disse que ainda precisa avaliar o projeto de fusão internamente e que não pretende tomar uma decisão no curto prazo. O vereador do PPS, Raul Jungmann (PE), que participou do jantar, afirmou que não a direção do PMN não tomou uma decisão sobre o tema. "A decisão do PMN, por hora, ...

Ler post
quarta-feira 13/03/13 06:30

Para marqueteiro, eleição na Venezuela é ‘viciada’

Renato_P.JPG O antropólogo e publicitário Renato Pereira, sócio da Prole, empresa que fez a campanha de Henrique Capriles à Presidência da Venezuela em 2012, avalia que o chavismo sobreviverá a Hugo Chávez. "Talvez não como dispositivo de poder - o tempo dirá; mas certamente como mito popular", afirmou o marqueteiro, responsável também pelas campanhas vitoriosas do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), em 2010, e do prefeito carioca, Eduardo Paes (PMDB), em 2012. Para ele, Capriles ...

Ler post
terça-feira 12/03/13 20:42

Deputados tucanos querem Duarte Nogueira na presidência do PSDB-SP

Com Bruno Boghossian A bancada de deputados federais do PSDB de São Paulo reuniu-se nesta tarde, em Brasília, para discutir estratégia de eleição de Duarte Nogueira como presidente da legenda no Estado. Os parlamentares querem o revezamento entre as bancadas estadual e federal na condução do partido em São Paulo. O atual presidente, Pedro Tobias, é deputado estadual e candidato à reeleição. Duarte Nogueira conversou com o governador Geraldo Alckmin nesta semana e, segundo interlocutores, recebeu o aval do tucano para disputar ...

Ler post
terça-feira 12/03/13 16:51

Um pé em cada canoa

Enquanto negocia participação no ministério da presidente Dilma Rousseff (PT), em Brasília, o PR também tenta se garantir em São Paulo. Por aqui, o partido quer ganhar uma secretaria na equipe de Geraldo Alckmin (PSDB). O secretário-geral do partido, Valdemar Costa Neto, o senador Antonio Carlos Rodrigues e o ex-ministro Alfredo Nascimento estiveram recentemente no Palácio dos Bandeirantes para conversar sobre a participação do PR no governo estadual. Alckmin, porém, quer esperar. Pretende ver o que Brasília vai oferecer ...

Ler post