Guido Mantega Archives - João Bosco
  1. Usuário
Assine o Estadão
assine
segunda-feira 02/03/15 18:35

De boca fechada

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, poderia mesmo ter evitado os adjetivos que empregou ao anunciar o fim das desonerações nas folhas de empresas, implantado no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff. Mas esse não é o ponto central do episódio. O ministro poderia se limitar a anunciar o fim do ciclo de desonerações sem

Ler post
sexta-feira 12/09/14 20:00

O silêncio sintomático do BC

O debate em torno da autonomia do Banco Central ainda permanece na pauta a merecer a abordagem de aspectos que, por mais mencionados, impõem ênfase. Nessa discussão, soa estranho, para empregar uma avaliação elegante, o silêncio da própria instituição a respeito. É sintomática a coincidência entre o debate que se trava no âmbito da campanha

Ler post
segunda-feira 01/09/14 17:12

Os imensos desafios de Aécio e Dilma

O mês final de campanha reserva às candidaturas de Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT, o desafio aparentemente difícil de sustar a onda de crescimento de Marina Silva (PSB), que torna imprevísivel até mesmo um segundo turno eleitoral. Marina parece catapultada não só pelo seu patrimônio eleitoral já registrado no último pleito, mas também

Ler post
sábado 30/08/14 14:36

O universo paralelo de Mantega

Os dias úteis são agora fator decisivo no cálculo do governo para o crescimento e, especificamente este ano, eles foram abaixo da média histórica, o que explica o PIB de 0,6% que pôs o país em recessão. Não só isso, mas a decepção da Fazenda com o desempenho internacional e a seca que aumentou o

Ler post
sexta-feira 04/07/14 18:00

Memória e futuro

Para garantir sua eleição, o ex-presidente Lula assinou o compromisso público conhecido como Carta aos Brasileiros, na qual se comprometia a não alterar as reformas de seu antecessor que deram ao país a estabilidade econômica, tentada em planos anteriores. O país que elegera Fernando Henrique Cardoso duas vezes, queria mudanças, mas sem riscos, como experimentalismos

Ler post
terça-feira 03/06/14 15:22

Economia, ainda o maior obstáculo de Dilma

Considerada a improbabilidade de as CPIs da Petrobrás produzirem  alguma informação nova relevante – uma por blindagem do governo, outra, por absoluta falta de tempo -, a economia continua se impondo como a grande adversária da presidente Dilma Rousseff. A rigor, não deixou de ser desde que a inflação  consolidou um quadro econômico que já

Ler post
quarta-feira 26/03/14 13:13

Rebaixamento é nota pelo conjunto da obra na economia

Não houve surpresa no mercado com o rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela agência Standard & Poors – e, a rigor, nem para o governo, que se decepcionou apenas com a velocidade da decisão. Desejava-a para após as eleições, já que inevitável. A decisão da agência foi uma confirmação, o que explica a

Ler post
sexta-feira 03/01/14 18:33

Sinais externos de nervosismo

Sinais de nervosismo com as críticas costumam respaldá-las, na medida em que a irritação denuncia, pelo menos, algum  fundamento nas análises que incomodam governos.  Estes criam logo inimigos, sempre dispostos a agir na contramão dos interesses do país, num surrado recurso diversionista. Ao anunciar ainda há pouco um resultado fiscal abaixo do projetado – e,

Ler post
quinta-feira 19/12/13 20:25

Demitir Mantega é passar recibo à oposição

Em política, muitas vezes as coisas funcionam com a lógica invertida. Como no futebol, quando a declaração de prestígio de um técnico corresponde, quase sempre, à sua sentença de morte. Técnico que continua “prestigiado “após insucessos seguidos, sabe-se, está com os dias contados. Com ministros não é na mesma proporção, mas negativas também podem ser

Ler post
terça-feira 03/12/13 18:49

Economia ruim, campanha também

E a má notícia econômica, antecipada com índice mais ameno pela presidente Dilma Rousseff, não surpreendeu: como é inerente à matemática, a conta é exata e impermeável às manobras contábeis exercidas fartamente pelo governo. Elas, porém, podem apenas maquiar e adiar o inevitável, mas ao final exibirá sempre a nudez do discurso protelatório. O resultado

Ler post