Se não tiver a vice de Serra, DEM lançará candidatura de Kátia Abreu

Se não tiver a vice de Serra, DEM lançará candidatura de Kátia Abreu

João Bosco Rabello

21 Março 2010 | 10h00

kabreu

DEM acredita que senadora pode alcançar 15% numa campanha nacional.

Foto: Pablo Valadares/AE

Convencido de que Aécio Neves não blefa quando afirma que concorrerá ao Senado, o DEM vai dar um ultimato a José Serra e cobrar a vaga de vice na chapa do PSDB à Presidência.


A candidata do partido é a senadora Kátia Abreu (TO), que deixará a presidência da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) no dia 3 de junho, prazo limite para a sua desincompatibilização como dirigente patronal.

Oficialmente a senadora sai para concorrer ao governo do Tocantins, mas o partido a preserva para vôo mais alto: se não conseguir emplacá-la na chapa do PSDB a lança candidata à presidência já em 2010.

O pano de fundo da operação é a sobrevivência da legenda que sofre uma desidratação eleitoral acelerada desde que virou oposição, após o governo FHC.

Nos cálculos do DEM a senadora pode alcançar um percentual de 15% numa campanha nacional, acima de Ciro Gomes e Marina Silva.

A conta localiza no interior do país 60% do eleitorado brasileiro e, desse percentual, 80% são ligados direta ou indiretamente ao agronegócio.

O carisma de Kátia Abreu junto a esse público seria indiscutível e, por isso, o partido sustenta que ela pode ser de grande valia para Serra.

Com mais quatro anos de mandato parlamentar, a pior hipótese não existe para a senadora. Se vice de Serra, ótimo; se candidata em vôo solo, faz um recall para 2014.

Em qualquer das duas circunstâncias, dá sobrevida ao DEM que sonha com a incorporação ao PSDB numa eventual vitória de Serra.