1. Usuário
Assine o Estadão
assine

PSB aumenta exposição de Campos para torná-lo opção presidencial

João Bosco Rabello

terça-feira 10/05/11 18:31

O programa do PSB que será exibido na noite desta terça-feira, 10, no horário eleitoral gratuito, deixará mais nítida a candidatura do governador Eduardo Campos, de Pernambuco, como opção à sucessão presidencial.

Campos é, no mínimo, hoje, o grande cabo eleitoral do Nordeste para quem se dispuser a conquistar o Palácio do Planalto.

No máximo, é alternativa a Dilma,  ainda que condicionada à inviabilidade de sua reeleição e à decisão do ex-presidente Lula de não voltar ao cargo.   

Aos 44 anos, o governador fez de Pernambuco uma espécie de vice-reinado nordestino, irradiando para a região o poder eleitoral que foi decisivo na vitória da candidata do ex-presidente Lula à sua sucessão.

No programa, o governador aparece como a grande estrela do PSB e, mais que isso, a grande liderança jovem com perfil renovador, à frente do partido que mais cresceu no país a partir da última eleição.

O PSB elegeu seis governadores, quatro senadores, 35 deputados federais e 73 estaduais e administra 386 municípios, quatro deles capitais.

Nas três inserções que lhes foram reservadas Campos define sua gestão em Pernambuco como socialista e inovadora, aprovada por expressivo índice de eleitores.

Mostra-se aliado da era Lula, que compara a outros grandes momentos da vida brasileira, como a Semana de Arte Moderna de 22, A Bossa Nova e o Cinema Novo.

Mas também se diz o líder capaz de abrir um novo caminho para o Brasil, usando a prática socialista como ferramenta para reinventar a política.

Discurso de candidato que registra os avanços da era Lula, mas alerta que o Estado precisa se adequar aos seus efeitos e estar mais próximo do povo, uma gestão voltada para o Brasil real.

Por ora, é uma estratégia para firmar sua imagem nacionalmente para o que der e vier, atento àquilo que o governo da aliança PT/PMDB não fala, mas sente: que a gestão Dilma não terá uma economia tão favorável quanto a de seu antecessor.

A bola ainda tem muito para rolar,  mas, com perdão do trocadilho infame, Campos entrou em campo.