1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Pesquisas pós horário político e debates é que podem indicar tendência

João Bosco Rabello

02 agosto 2010 | 19:08

Mais duas pesquisas serão divulgadas antes do horário político gratuito – uma delas no dia do primeiro debate entre os candidatos, na TV Bandeirantes.

A primeira será divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), na próxima quinta-feira, dia 5 de agosto, pela manhã, em sua sede, em Brasília. É a 102ª pesquisa Pesquisa CNT/Sensus.

Com  dois mil entrevistados distribuídos em 136 municípios de 24 estados, entre os dias 31 de julho e dois de agosto, a pesquisa mede as intenções espontâneas de voto, as estimuladas, e avalia o desempenho dos governadores e prefeitos, governo federal e do presidente Lula.

Estimula também o entrevistado a dizer quem vai ganhar a eleição, independentemente do seu voto.

Na sequência, virá outra pesquisa Ibope, encomendada pela Globo Comunicação e “O Estado de S. Paulo”. O campo previsto é de 31 de julho a 6 de agosto com a realização de 2.506 entrevistas. A margem de erro é de mais ou menos dois pontos percentuais.

Muito próximas entre si, e das recentemente divulgadas, essas novas pesquisas devem acrescentar pouco às anteriores.

As mais valorizadas – e esperadas – são as que virão após o início do horário político, em 17 de agosto, já realizado o primeiro debate entre os candidatos.

São as mais esperadas porque a televisão será mais decisiva nessa campanha do que foi em outras, como atesta o publicitário Marcos Coimbra, da Vox Populi, instituto que registrou em sua última pesquisa Dilma Rousseff oito pontos à frente de seu principal rival, José Serra.

O raciocínio de Coimbra é de que as limitações legais impostas pelo Tribunal Superior Eleitoral a mídias tradicionais como shows, comícios, cartazes de rua, entre outras que mobilizam o eleitorado, aumentaram a influência da TV.