Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Politica » Vereador é xingado de ‘bicha louca’ na web e consegue indenização

Política

0

camilatuchlinski

26 Fevereiro 2016 | 13h59

Em agosto do ano passado, deputados federais prepararam um projeto de lei para acelerar a identificação e a punição de pessoas que criam páginas ofensivas e difamatórias contra parlamentares na internet. A proposta tem o apoio do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. A web é usada, muitas vezes, como um mecanismo de desabafo da população brasileira, que há tempos está insatisfeita com a classe política. É possível controlar um território como a internet? Hoje vou contar a história do vereador de uma cidade do Mato Grosso e que foi chamado de ‘bicha louca’ nas redes sociais.

O episódio aconteceu no município de Várzea Grande em 2014. O vereador Fábio Saad, do PTC, foi xingado de ‘bicha louca’ pelo líder comunitário Sérgio Alliend, que é marido da vereadora Miriam Pinheiro, do PHS. Na época, houve uma discussão na Câmara de Vereadores sobre um projeto de lei que tratava da alteração do nome de uma escola pública municipal. Alliend também escreveu na internet que Saad estaria extorquindo um ex-prefeito de Várzea Grande.

Revoltado com o incidente, o vereador Fábio Saad acionou o casal na justiça. A Justiça determinou que o casal retirasse fotos e comentários ofensivos contra o vereador das redes sociais, sob pena de multa diária de R$ 500. Agora, quase dois anos depois, a Justiça retirou a vereadora do processo, mas condenou o líder comunitário a pagar R$ 8 mil por danos morais à Saad. A decisão é do juiz Luis Otávio Pereira Marques, da 3ª Vara Cível de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá.

Nos autos do processo, Sérgio Alliend se defendeu. O líder comunitário disse que foi alvo de injúria e difamação por parte do vereador e que não é de hoje que há uma ‘animosidade’ entre as partes. Para ele, cada ação existe uma reação.

Comentários