Uberaba não quer mais a casa dos avós de Dilma

Camila Tuchlinski

16 Outubro 2015 | 12h53

Há alguns meses, a prefeitura de Uberaba, no Triângulo Mineiro, tinha a intenção de comprar uma casa na cidade onde moravam os avós da presidente da República. A família habitou o local até 1951. Dilma nunca viveu neste imóvel, mas sempre frequentou. É uma casa espaçosa, tem três quartos, sala de jantar, copa, cozinha, banheiro e área de serviço. Porém, está abandonado há anos.

O imóvel tem 20 herdeiros que já haviam recebido da prefeitura R$ 270 mil, entre eles, a própria Dilma Rousseff. O valor de aquisição foi calculado por um engenheiro da prefeitura. A ideia da administração municipal era transformar o lugar em uma espécie de “Memorial dos Presidentes”. Depois, pensou-se em fazer uma escola de arte e cultura no local.

Revoltados, os moradores de Uberaba realizaram diversos protestos contra o negócio, inclusive na frente da casa dos avós de Dilma. Afinal, em tempos de crise financeira, em que vivemos em uma retração do PIB (na verdade, recessão mesmo!), os preços nos supermercados estão absurdos e empresas promovem demissão em massa, pra que economizar, né? Vamos comprar um imóvel para transformar em “Memorial dos Presidentes”…ah, por favor!

O prefeito de Uberaba, Paulo Piau, é do PMDB. E da ala que ainda é aliada de Dilma. Inclusive, Piau foi coordenador regional dela na campanha presidencial para a reeleição em 2014. Mensurando a impopularidade de se fazer um negócio como este, o prefeito decidiu voltar atrás e justificou a mudanças de planos em decorrência da crise financeira. Além disso, vai solicitar aos herdeiros que devolvam o valor da primeira parcela, depositado em juízo.


Em nota, a prefeitura afirmou que “este não é o momento para dar andamento a essa iniciativa, enquanto todos os municípios brasileiros enfrentam um momento desafiador e estão buscando cortar gastos”. Ainda de acordo com a administração municipal, isso significa “parar projetos em andamento para dar prioridade a outros”. Só fiquei curiosa em saber quais são os outros projetos que estão parados em Uberaba.