Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Politica » Sâmia Bomfim X Fernando Holiday: “fight” político nas redes sociais!

Política

Camila Tuchlinski

21 Abril 2017 | 08h12

As discussões, por vezes ferrenhas, na Câmara Municipal de São Paulo ultrapassaram os muros da Casa e foram parar na internet. O caso foi protagonizado por dois vereadores novatos no legislativo municipal: Sâmia Bomfim, do PSOL, e Fernando Holiday, do DEM. Na última eleição, ela recebeu 12.464 votos; ele, 48.055. Sâmia tem 27 anos de idade; Fernando, 20. Ambos são novatos entre os parlamentares.

Na semana passada, Sâmia Bomfim fez uma transmissão, via Facebook, provocando Fernando Holiday: “Quero saber se o senhor tem orgulho de, em quatro meses de mandato, ter dois pedidos de cassação por quebra de decoro por não saber se comportar como vereador?”. O vídeo, gravado no plenário da Câmara Municipal, foi assistido quase 100 mil vezes. Isso aconteceu por volta das quatro da tarde. No mesmo dia, duas horas depois, Holiday publicou sua réplica, também na rede social. “A vereadora do PSOL, se olhasse para o próprio partido, teria vergonha na cara em vez de ficar apontado o seu dedo sujo para este ou aquele parlamentar dentro dessa Casa”. O vídeo, feito minutos antes da sessão plenária, teve 198 mil visualizações na internet.

Separei aqui dois vídeos publicados no Youtube e que revelam a atuação dos jovens vereadores. No primeiro, Sâmia se dirige diretamente à Holiday no plenário da Câmara (https://www.youtube.com/watch?v=h5WIkWN-ZdE). No segundo, o vereador do DEM usa a mesma internet para se dirigir à Sâmia, mas sobre pichações em São Paulo (https://www.youtube.com/watch?v=BbXlLBXPXOo).

Interessante observar agora esses comportamentos de figuras públicas tão jovens e que buscam se adequar à linguagem daqueles que os elegeram. No entanto, acredito que alguns ajustes poderiam ser feitos, como ‘eventos’ conjuntos, com direito a live nas redes sociais, e uma maior interação com a população em geral, que tem demandas muito mais específicas do que a mera discussão entre ‘esquerda’ e ‘direita’, como escolas mais estruturadas, vagas em creches, melhor atendimento nos hospitais, mais transporte e menos violência. Fica a dica!

Encontrou algum erro? Entre em contato