1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

HUMBERTO DANTAS Cientista social, doutor em ciência política, professor do Insper e da FESP-SP, e colunista da Rádio Estadão. EDER BRITO Jornalista, mestre em administração pública, servidor público em São Paulo e coordenador de projetos da Oficina Municipal. CAMILIA TUCHLINSKI Jornalista, radialista, apresentadora e repórter da Rádio Estadão. Cobre assuntos gerais. Observadora e curiosa sobre a política nacional.
segunda-feira 31/03/14 08:11

Feliz aniversário!

Se as teses que classificam os brasileiros no campo dos povos mais emocionais e menos racionais estiverem corretas, parece possível compreender o comportamento de nossos políticos. Afinal, eles são brasileiros também, né? Assim, tomemos como base as mensagens públicas que eles destinam à sociedade. E sejamos mais diretos: que tipo de informação os políticos nos ofertam quando aparecem em suas propagandas pessoais. Pessoais?   Isso mesmo: pessoais. Mas se são políticos, ou seja, se representam a causa pública, por que precisam nos ...

Ler post
sexta-feira 28/03/14 08:15

O rei do elevador: “desce!”

O Brasil tomou um susto quando uma revista resolveu falar sobre o Rei do Camarote. O país tem ainda o Rei do Futebol, a Rainha dos Baixinhos e o Rei – esse último é simplesmente o rei, tamanha sua importância. Falo de um famoso cantor que a história tratará de chamar sempre de Rei.   Movido por um sentido monárquico com perfil absolutista o país segue em seu ritmo cultural. Semana passada eu acho que conheci, mesmo não sabendo de quem se ...

Ler post
quarta-feira 26/03/14 11:26

O Município no Congresso Nacional

Por Eder Brito Não se deixe enganar pelo título. Estamos falando de um evento da semana passada, quando a cidade de Campos do Jordão tornou-se por cinco dias consecutivos uma das maiores concentrações de capital político por metro quadrado do país. O local foi sede do Congresso Estadual de Municípios, evento organizado pela APM (Associação Paulista de Municípios). Tradicional na gestão pública, a ação ocorreu pelo 58º ano consecutivo (!!!), sempre reunindo quase todos os Prefeitos e ...

Ler post
segunda-feira 24/03/14 08:03

A moda que “veste” o Judiciário

A Ciência Política aponta que o Judiciário é encastelado em uma torre de marfim distante da sociedade. A sentença é corroborada por críticas do próprio poder. Joaquim Barbosa é um dos agentes que protagoniza tais discursos, ao mesmo tempo em que é questionado por também ultrapassar alguns limites. O problema seria então cultural? Provavelmente. O fato é que no Judiciário parece existir um mundo à parte repleto de um glamour diferente daquele vivido nas ruas. Talvez seja isso que justifique a passagem do desembargador que, em Natal-RN, arrasou um funcionário de uma padaria que lhe trouxe gelo em um “humilhante” copo de plástico. Ou a história da juíza que mandou o cidadão grampear a própria camisa dada a falta de um botão. Ou ainda o bizarro caso de um juiz de Cascavel-PR que suspendeu uma sessão porque o denunciante apareceu de chinelo perante “vossa majestade”. Descaso? Não: condição social mesmo, amigo. “Sensibilizado” o juiz tentou lhe doar um par de sapatos, mas o sujeito preferiu recusar e utilizou um pisante emprestado pelo sogro no novo “encontro”. O Judiciário parece protagonizar mesmo um mundo à parte. Detalhe: alguns de seus membros têm um orgulho assustador dessa “condição de superioridade”.

 

Vejamos mais um exemplo. Em parte expressiva dos estados brasileiros o que mais verificamos é o jornalismo social com gestos de absoluto louvor aos amigos, autoridades e patrocinadores. Faz alguns anos um conhecido levou sua empresa para o interior de um desses estados. E me confessou: “estava desesperado, ia viver isolado”. “E o que fez?”, perguntei. “Procurei a coluna social do maior jornal da cidade e patrocinei o sujeito. Foi a melhor coisa”, contou orgulhoso. Hoje é convidado até pra batizado de cachorro. Lamentável. Pois bem, no Rio Grande do Norte existe disso, e aos montes. Os colunistas são celebridades, inclusive incapazes de entenderem os limites geográficos de suas lamentáveis famas. No aeroporto de Lisboa, faz alguns anos, um deles furou a fila a minha frente no check-in dando “carteirada” de colunista. Minha revolta se misturou às lamentações e risadas. O povo perdeu a noção!

 

Mas e o Judiciário? Faz algumas semanas a revista Bzzz, de uma dessas colunistas sociais potiguares, publicou matéria sobre a moda dos mais elegantes membros da justiça. Como é? Isso mesmo: a jornalista escolheu os magistrados federais que melhor se vestem no estado e lhes dedicou páginas de seu periódico. A “reportagem” parece um book, mas o concurso associado a tais profissionais não é o de miss, e sim os concursos públicos que deveriam zelar pela lógica republicana. Nas fotos, corpos inteiros e closes nas vestes. Os sorrisos dão a dimensão do orgulho de posar e da vaidade. Detalhe: parte expressiva das imagens tem forte alusão ao fato de estarem em gabinetes sofisticados. Estariam em horário de trabalho? Impossível dizer. No texto, as marcas preferidas de ternos, sapatos, relógios e gravatas da mais alta qualidade e preço. Enquanto isso, o CNJ aponta em seus relatórios que ainda falta capacitação técnica para o trabalho e alguns processos se arrastam na justiça. Sorrir é fácil, pra coluna social então: moleza. O problema é esperar do Judiciário uma postura condizente com a realidade social, capaz de gerar uma “elegância democrática”, que nada tem a ver com marcas famosas ou com o status ofertado por um bom relógio combinado com uma brilhante gravata na “moda” que parece vestir parte de nossa magistratura.

Ler post
sexta-feira 21/03/14 07:48

Tios, filhos, sobrinhos e Paes Landim

Paes Landim é uma cidade no Estado do Piauí com menos de cinco mil habitantes. É bastante óbvio que não há nada de aleatório no nome. A homenagem é feita ao antigo capitão Francisco Antônio Paes Landim Neto, ex-deputado estadual, filiado à UDN, que teve a honra de ver seus filhos envolvidos com a política. Assim, Paes Landim é também o nome de um político piauiense que está no sétimo mandato seguido como deputado federal, irmão de outros Paes Landim ...

Ler post
quarta-feira 19/03/14 08:16

Enquanto isso…

Por Eder Brito Carlos Alexandre Martins foi eleito vereador de Camboriú com 685 votos em 2012. Até então filiado ao PSDB, Xande (como é popularmente conhecido) começou criando polêmica já durante a campanha. Desrespeitou uma regra que havia sido “combinada” entre todas as coligações do município. Segundo o acordo seria proibido fazer carreatas naquele ano. Xande não deu trela, foi lá, subiu no caminhão e saiu pelas ruas de Camboriú (não confundir com Balneário Camboriú, a outra bela cidade catarinense). Xande chegou ...

Ler post
sexta-feira 14/03/14 07:43

Vingança das entidades?

O documentário “Onde a Coruja Dorme” mostra relatos de compositores que trabalharam com Bezerra da Silva. O finado sambista, conhecido por cantar como poucos a realidade dos morros do Rio de Janeiro, era “ponta firme” e “não dava volta em ninguém”, como canta uma de suas canções. A despeito de sua vasta discografia, destaque para a canção “Candidato Caô Caô”, onde o político sobe o morro sem gravata, afirma que gosta da raça, vai à tendinha, bebe cachaça e até ...

Ler post
quarta-feira 12/03/14 20:58

Dia Internacional do Equívoco

Por Eder Brito O Dia Internacional das Mulheres já passou, mas deixou rastros na administração pública municipal brasileira. A data por si só já é polêmica. Por mais que celebre um importante movimento histórico da luta pela igualdade de gênero, há quem reclame do viés machista e pouco representativo da comemoração. Independentemente do julgamento, algumas Prefeituras acabaram se complicando com a data nos últimos anos. A Prefeitura de Macaé, no Rio de Janeiro é um exemplo. Na tentativa de homenagear as servidoras ...

Ler post
segunda-feira 10/03/14 08:12

Laxante verbal

Não tente entender apenas assistindo ao vídeo. O quebra-cabeças é complexo, novas peças têm aparecido nos últimos dias e precisamos apelar para as origens locais. Quando começou a circular no YouTube um post de alguns deputados gaúchos contrários à demarcação de terras indígenas, uma das falas se destacou. O congressista do Partido Progressista, Luiz Carlos Heinze, dirige seu discurso contra o ministro Gilberto Carvalho - ausente no evento. O que poderia ser apenas um posicionamento contrário à determinada ideia, ganhou ...

Ler post