Zelotes mira propina de até 10% em processos de R$ 200 milhões do Carf

Zelotes mira propina de até 10% em processos de R$ 200 milhões do Carf

Na mira da PF está ao menos três processos do BankBoston no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais – CARF

Fabio Serapião, Julia Affonso, Mateus Coutinho

01 Dezembro 2016 | 08h55

Foto: André Dusek/Estadão

Foto: André Dusek/Estadão

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, 1, a 8ª fase da Operação Zelotes, que investiga um esquema de manipulação do trâmite de processos e no resultado de julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais – CARF. O Estado apurou que se trata de processos tributários relacionados ao BankBoston. Na mira dos investigadores estão processos no valor de cerca de R$ 200 milhões que tramitaram no conselho.

Nota da PF informa que cerca de cem policiais federais estão cumprindo 34 mandados judiciais, sendo 21 mandados de busca e apreensão e 13 de condução coercitiva nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco. O inquérito específico para investigar o caso do BankBoston dentro da Zelotes apura possível pagamento de uma “taxa de sucesso” de 5% a 10% do valor do processo em trâmite no Carf.

Esta nova etapa da operação aponta a existência, entre os anos de 2006 e 2015, de suposto conluio entre um conselheiro do CARF e o banco. O esquema, segundo a PF, envolvia escritórios de advocacia e empresas de consultoria que firmavam contratos fraudulentos com as empresas para esquentar o dinheiro utilizado para pagamento de vantagem indevida servidores do conselho.

A PF identificou que houve sucesso na manipulação de processos administrativos fiscais em ao menos três ocasiões. Os investigados poderão responder, na medida de suas participações, pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, advocacia administrativa tributária e lavagem de dinheiro

A Operação Zelotes foi deflagrada no dia 26 de março de 2015 com o objetivo de desarticular organizações criminosas que atuavam junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais – CARF, causando grande prejuízo aos cofres públicos.

Os crimes investigados na operação são: Advocacia Administrativa Fazendária, Tráfico de Influência, Corrupção Passiva, Corrupção Ativa, Associação Criminosa, Organização Criminosa e Lavagem de Dinheiro.

Mais conteúdo sobre:

ZelotesOperação ZelotesPF