‘Viver honestamente’

No despacho em que proíbe o senador Aécio Neves (PSDB) de deixar o País e de ter contato com outros investigados da Operação Patmos, ministro do Supremo cita o célebre jurista romano Eneu Domício Ulpiano (150/223 DC)

Rafael Moraes Moura, Beatriz Bulla e Breno Pires, de Brasília

19 Maio 2017 | 12h33

Edson Fachin. Foto: Carlos Moura/SCO/STF

No despacho em que ordenou ao senador Aécio Neves (PSDB/MG) entregar seu passaporte e o proibiu de ter contato com outros investigados da Operação Patmos, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, citou Ulpiano, o célebre jurista romano.

“Esses são os preceitos do direito: viver honestamente, não causar dano a outrem e dar a cada um o que é seu”, escreveu Fachin, inspirado em Eneu Domício Ulpiano (150/223 DC).

Aécio está sob suspeita de pedir R$ 2 milhões em propinas ao empresário Joesley Batista, do Grupo JBS. A entrega de parte do dinheiro – R$ 500 mil – a um primo do senador, Frederico Pacheco de Medeiros, o Fred, foi filmada pela Polícia Federal.
A Procuradoria-Geral da República pediu a prisão do senador, o que foi rejeitado por Fachin.


O ministro decretou o afastamento de Aécio do mandato de senador e determinou a prisão da irmã do tucano, Andrea Neves; de Fred e de Mendherson Souza Lima, assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG)