Vídeo mostra Vaccarezza e lobista da Petrobrás no Rio

Nas imagens, é possível ver o ex-líder do governo na Câmara caminhando ao lado de Jorge Luz; ambos foram citados na delação premiada de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal

Redação

13 Fevereiro 2015 | 20h46

Por Andreza Matais, de Brasília, e Julia Affonso

Um vídeo de cerca de 20 segundos mostra o ex-deputado federal Cândido Vaccarezza andando ao lado do lobista Jorge Luz, nas proximidades do Aeroporto Santos Dumont, região central do Rio. Nas imagens, é possível ver o ex-líder do governo na Câmara falando ao celular e caminhando do lado esquerdo do lobista, citado por delator da Operação Lava Jato.

Vaccarezza foi envolvido na operação, depois que o ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, afirmou em sua delação premiada feita no ano passado que o ex-deputado teria recebido propina de R$ 400 mil por um contrato de importação de asfalto da Petrobrás com a empresa Sargent Marine. As declarações – exceto os relatos que citam políticos com foro privilegiado – foram tornadas públicas na quinta-feira, 12.

VEJA AS IMAGENS DE VACCAREZZA E JORGE LUZ ANDANDO NO RIO

Costa disse que foi informado da propina ao político em uma reunião, “no ano de 2009 ou 2010″, na residência de Luz, que lhe apresentou a Sargent Marine, no Rio de Janeiro. O ex-diretor, na época à frente da diretoria de Abastecimento, afirmou que foi o responsável por convidar a empresa que firmou o contrato com a estatal petrolífera sem licitação. O ex-diretor da Petrobrás cumpre prisão domiciliar em um condomínio de luxo no Rio de Janeiro.

Procurado pela reportagem ontem, Vaccarezza negou com veemência ter recebido valores ilícitos. Ele assinalou que “nunca apresentou empresa para Paulo Roberto Costa”. O ex-deputado condenou as acusações de Costa na delação.”Esta informação me inocenta, é um disse que me disse, nunca pedi nada ao Paulo Roberto Costa e ele nunca me deu nada. Nunca apresentei empresa ao Paulo Roberto Costa, e se o Jorge luz disse que haveria propina tem que cobrar do Jorge Luz e não de mim”, afirmou o ex-parlamentar.  Jorge Luz não foi encontrado para comentar o caso.