Veja o ex-presidente do TCE/Rio na boa, de pijamas, enquanto a PF vasculha sua casa

Veja o ex-presidente do TCE/Rio na boa, de pijamas, enquanto a PF vasculha sua casa

buscas da Polícia Federal ocorreram em dezembro no amplo apartamento, enquanto Aloysio Neves, à vontade, tomava o café matinal

Constança Rezende/RIO

04 Abril 2018 | 10h54

O presidente afastado do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Aloysio Neves, foi surpreendido por uma ação da Policia Federal que vasculhou obras de arte na casa dele em busca de provas de propina. Em vídeo divulgado pela própria PF, é possível ver Neves tomando café da manhã, ainda de pijama, enquanto os policiais fazem a vistoria no amplo apartamento.

Em delação ao Ministério Público Federal, o executivo Marcos Andrade Barbosa Silva , da empreiteira União Norte Fluminense Engenharia, gravou uma conversa com Aloysio Neves pedindo a entrega da propina ‘com cuidado’. A recomendação do ex-presidente do TCE/Rio teria sido feita após a operação policial.

Segundo o MPF, investigações também mostraram que Aloysio Neves utilizou ‘altas quantias de dinheiro em espécie para pagamento de despesas de viagens e compras de obras de arte, o que reforça a movimentação de recursos ilícitos por ele’.

Entre essas obras, a Procuradoria cita uma pintura e uma escultura de Amílcar de Castro, adquiridas por R$ 60 mil e R$ 20 mil em espécie e uma obra de Daniel Senise po R$ 65 mil, também em dinheiro vivo.

COM A PALAVRA, A DEFESA DE ALOYSIO NEVES
O advogado Rafael Faria, defensor de Aloysio Neves, afirmou que seu cliente provará, no curso do processo, a sua inocência. “Sua história de vida se levantará a seu favor”, declarou Faria.
Em relação à gravação, o criminalista declarou que “o que se revela é uma conversa em sua maior parte ininteligível”. Segundo ele, “um simples relancear de olhos” permite notar que Neves “não tinha ciência das condutas do real criminoso, o delator”.
Faria disse também que não se pode conferir “a menor credibilidade” ao áudio.
“Em momento oportuno, isso virá à tona”, afirmou.