Toffoli diz que Brasil está entre os 10 países mais violentos e ‘caso Marielle já vai para um mês’

Toffoli diz que Brasil está entre os 10 países mais violentos e ‘caso Marielle já vai para um mês’

Ministro, que ainda não votou no julgamento do habeas corpus de Lula, afirma que 'a questão do homicídio vai muito além do Poder Judiciário'

Teo Cury, Julia Lindner, Amanda Pupo, Rafael Moraes Moura e Breno Pires/BRASÍLIA

04 Abril 2018 | 18h07

 FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, afirmou nesta quarta-feira, 4, durante sessão de julgamento que analisa o pedido de habeas corpus do ex-preisdente Luiz Inácio Lula da Silva, que ‘nem 8 % dos homicídios (no país) são apurados’. Para embasar sua afirmação, o ministro citou a execução da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista Anderson Pedro Gomes, no Rio de Janeiro, em meados de março. “Veja a questão da Marielle. Já vai para um mês. O Brasil está entre os 10 países mais violentos do mundo.”

Na avaliação do ministro, a “questão do homicídio no Brasil vai muito além do poder Judiciário”. “Grande parte das mortes no Brasil, mais de 30 mil, homicídios. Nem 8% é apurado. Ou seja, isso é culpa do Judiciário? Judiciário não investiga.”

“Vivemos em um país desigual, que não olha para os desvalidos, que não olha para os seus pobres, para suas favelas. E que são as grandes vítimas desses homicídios. Senhora procuradora-geral da República, onde estão as denúncias desses milhares crimes de homicídio?”, questionou.

Em resposta, a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, afirmou entender a indignação do colega. E concluiu: ‘a parte que nos cabe é de avaliar os casos que já chegaram ao Judiciário’

Mais conteúdo sobre:

Dias ToffoliSTFMarielle Franco