Temer entra com duas ações contra Joesley

Temer entra com duas ações contra Joesley

Pouco antes de embarcar para viagem de cinco dias à Rússia e Noruega, presidente dá entrada na Justiça com processo contra empresário da JBS por danos morais, além de queixa crime por difamação, calúnia e injúria

Tânia Monteiro e Carla Araújo

19 Junho 2017 | 14h54

Michel Temer e Joesley Batista. Fotos: Evaristo Sá/AFP e Paulo Giandalia/Estadão

O presidente Michel Temer finalizou na manhã desta segunda-feira as duas ações contra o dono da JBF, Joesley Batista e pouco antes de seguir para a Base Aérea, para embarcar para viagem de cinco dias para a Rússia e Noruega, deu entrada nos dois processos na Justiça. Uma das ações será por danos morais, onde pedirá indenização financeira e a segunda, será uma queixa-crime, por difamação, calúnia e injúria, crimes contra a honra.

O presidente decidiu acionar o advogado do PMDB, Renato Oliveira Ramos, para representar contra o empresário. A ação criminal foi impetrada na Justiça Federal e a cível, na Justiça comum.

+ ‘Expandiu-se demais a investigação, além dos limites’, diz Gilmar

+ ‘Aviso aos criminosos que não sairão impunes’ diz Temer em vídeo na internet

Na ação inicial, Temer não estabeleceu um valor de indenização, mas isso poderá ser feito em um segundo momento, caso o juiz indique que pode especificar um montante. A ideia do presidente, caso consiga ganhar as ações na Justiça, é doar os valores referentes a elas a uma instituição da caridade.
Temer dedicou uma parte do fim de semana a discutir com seus advogados não só as ações a serem apresentadas na Justiça contra Joesley, que anunciou em nota oficial divulgada sábado. Nos feriados, Temer se reuniu também com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Velloso, que irá ajudá-lo na defesa da denúncia que o procurador Geral da República, Rodrigo Janot, deverá apresentar contra o presidente, nos próximos dias.

+ Lava Jato pede sequestro de imóveis de filha e enteada de Palocci

O presidente já deixou o Planalto em direção à base aérea de Brasília, para embarcar para Rússia. Neste período, os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, permanecerão em Brasília monitorando ações contra o governo e trabalhando pela reaglutinação da base aliada.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que assumirá o comando do País com a viagem de Temer, não deverá ir ao Palácio do Planalto nesta segunda-feira, já que está em Pernambuco. Ele deverá começar a despachar no gabinete presidencial nesta terça-feira.

Mais conteúdo sobre:

Michel TemerJoesley Batista
0 Comentários