Supremo põe irmã de Aécio em prisão domiciliar com tornozeleira

Supremo põe irmã de Aécio em prisão domiciliar com tornozeleira

Ministros da Corte converteram a prisão preventiva de Andrea Neves, alvo da Operação Patmos, deflagrada no dia 18 de maio

Da Redação

20 Junho 2017 | 17h21

Andrea Neves. Foto: Cristiane Mattos/Reuters

O Supremo Tribunal Federal mandou para prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica nesta terça-feira, 20, a irmã do senador Aécio Neves (PSDB/MG), Andrea Neves.

Por três votos a dois, os ministros da 1.ª Turma da Corte máxima estenderam a Andrea e também ao primo do senador, Frederico Pacheco, o Fred, a decisão que já havia beneficiado o ex-assessor do senador Zezé Perrella (PMDB), Mendherson Lima.

+ PF afirma que houve ‘pagamento de vantagem indevida’ a Temer e Rocha Loures


Andréa foi presa no dia 18 de maio por suspeita de envolvimento na propina de R$ 2 milhões do grupo JBS para o irmão dela.

O caso do senador Aécio foi adiado por pedido de vista do ministro Marco Aurélio Mello. Os ministros adiaram a decisão com relação ao senador, cuja prisão foi pedida pela Procuradoria-Geral da República.

Mais conteúdo sobre:

Andrea Nevesoperação Lava Jato