‘STF mantém a prisão ou a impunidade?’

‘STF mantém a prisão ou a impunidade?’

Grupos favoráveis à Lava Jato fazem vaquinha e exibem faixa de oito metros ao lado de onde Lula está preso

Luiz Fernando Teixeira e Fausto Macedo

11 Abril 2018 | 09h32

Foto: Movimento Nas Ruas

Grupos de ativistas favoráveis à Operação Lava Jato fizeram uma vaquinha e estenderam, na manhã desta quarta-feira, 11, uma faixa de oito metros ao lado da sede da superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, com os dizeres ‘STF mantém a prisão ou a impunidade?’. Segundo os organizadores, eles planejam fazer ‘ações chaves’ até que o Supremo Tribunal Federal analise a ação do PEN que pode mudar o entendimento da prisão em segunda instância.

“A gente sabe que isso vai voltar à pauta”, afirma o representante do Movimento Nas Ruas em Curitiba, Carlos Nacli, um dos responsáveis pelo ato. O ministro Marco Aurélio Mello decidiu suspender por cinco dias a tramitação da ação, a pedido do partido, pois os advogados querem estudar ‘o feito e analisar situações de questões de ordem, regimental e processuais’.

+ Instituto de Garantias Penais reforça pedido ao STF para suspender prisão após 2ª instância

“Nosso intuito não é bater boca com petistas ou pessoal do MSTque está acampado aqui do lado”, diz Nacli. Ele defende que os grupos querem que ‘todos os corruptos’ sejam presos. “Nossa luta é que o Brasil realmente aproveite a Lava Jato para passar o País a limpo”.

+ ‘A militância fará Lula presidente novamente’, diz Gleisi

Desde que Lula começou a cumprir pena em Curitiba, grupos montaram um acampamento nas proximidades da sede da PF. As lideranças do PT querem que o ato continue até que o ex-presidente deixe a prisão.

Mais conteúdo sobre:

Polícia Federal