Receita confiscou 880 toneladas de falsificados em São Paulo

Receita confiscou 880 toneladas de falsificados em São Paulo

Operação Setembro, que se prolongou por 18 dias, apreendeu 58 mil volumes de mercadorias avaliadas em R$ 440 milhões

Julia Affonso e Luiz Vassallo

29 Setembro 2017 | 11h36

Foto: Receita Federal

A Receita informou nesta sexta-feira, 29, que a Operação Setembro, realizada durante 18 dias seguidos, levou ao confisco de 58.183 volumes de mercadorias irregulares, o suficiente para encher 68 caminhões. Cada volume equivale a um saco com dimensões de 70×90 cm. Em peso, as mercadorias apreendidas somam 880 toneladas. O valor estimado dos produtos é de R$ 440 milhões. O foco central da Setembro foi o Shopping 25 de Março.

O resultado supera a estimativa inicial da operação, que era a de apreender 800 toneladas de mercadorias, com valor total de R$ 300 milhões, destacou a Receita.

OUTRAS DO BLOG: + Planilha de ‘contas mensais’ apreendida na casa de Lula não registra aluguel de apartamento

Glaucos pede a Moro que intime hospital a apresentar registros de visitas de contador

Toffoli mantém execução provisória da pena de ex-diretor da Assembleia do Paraná

A Operação Setembro, a maior já deflagrada pela Receita no estado de São Paulo para combater a venda de produtos introduzidos ilegalmente no País, foi iniciada no dia 11 e envolveu 25 auditores-fiscais e 80 analistas-tributários, em parceria com o Ministério Público Federal e a Prefeitura, por meio por meio da Secretaria Municipal das Prefeituras Regionais e da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo.

O primeiro dia foi dedicado à busca e apreensão de computadores e documentos que pudessem identificar os principais beneficiários do esquema de contrafação e pirataria e os reais locadores e locatários dos estabelecimentos fiscalizados. A apreensão de mercadorias começou a partir do segundo dia de operação.

Foram fiscalizadas 869 lojas na região central da capital paulista, que é hoje um dos principais polos de comércio de mercadorias irregulares, com origem no contrabando, descaminho e falsificação.

Ao todo, 857 lojas tiveram mercadorias apreendidas. Mais de 90% das mercadorias apreendidas são falsificadas, entre eles produtos como calçados, perfumes e óculos, ‘que trazem risco para a saúde dos consumidores’.

Em algumas lojas, foram identificados depósitos clandestinos de mercadorias.

Também foram encontradas telas de serigrafia utilizadas para a produção de itens falsificados.

“Da região central da cidade saem mercadorias irregulares que abastecem todo o Brasil, gerando um prejuízo de bilhões de reais por ano com sonegação”, destacou a Receita, em nota divulgada pela Assessoria de Comunicação Institucional.

Além do aspecto fiscal, há também reflexos em outros crimes, como lavagem de dinheiro, corrupção e condições de trabalho similares ao escravo, ressalta o Fisco.

“Outro aspecto nocivo é a concorrência desleal, que gera desemprego e instabilidade no ambiente de negócios do País.”

Também durante a operação, a equipe de Educação Fiscal da Receita promoveu uma ação de conscientização junto ao público que passava em frente ao local. Os servidores distribuíram folhetos explicativos sobre a atuação institucional da Receita no combate à pirataria e alertaram a população sobre os danos que o consumo de produtos nessas condições provocam à saúde e à economia.

Mais conteúdo sobre:

Receita Federal