Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Politica » Promotoria pede compartilhamento de quebra de sigilo de Marinho

Política

Promotoria pede compartilhamento de quebra de sigilo de Marinho

Politica

ALSTOM

Promotoria pede compartilhamento de quebra de sigilo de Marinho

Setor do MP que rastreia evolução patrimonial de conselheiro do TCE/SP quer acesso a dados bancários

faustomacedo

28 Maio 2014 | 06h00

O Ministério Público pediu à Justiça compartilhamento da quebra do sigilo bancário e fiscal do conselheiro Robson Marinho, do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de São Paulo.

O conselheiro teve seu sigilo bancário quebrado pela Justiça em 2010, em uma investigação da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e Social do Ministério Público, que apura seu suposto envolvimento com o caso Alstom – escândalo de pagamento de propinas no setor de energia no governo Mário Covas (PSDB), em 1998.

O pedido de compartilhamento foi realizado por promotores da mesma Promotoria que investiga Marinho no caso Alstom. Essa nova solicitação, contudo, tem como objetivo a apuração sobre a evolução patrimonial do ex-chefe da Casa Civil do governo Mário Covas (PSDB).

A investigação patrimonial é uma das várias frentes na qual a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e Social, braço do Ministério Público que investiga improbidade e enriquecimento ilícito de agentes públicos, atua contra Marinho. Em outra delas foi requerido o afastamento cautelar do conselheiro.

O conselheiro está sob suspeita de ter recebido US$ 2,7 milhões em propinas da Alstom – multinacional francesa contratada pela Eletropaulo, antiga estatal de energia, na década de 1990.

Ele é dono de imóveis muito valorizados. Uma casa em Ubatuba, no litoral Norte, está avaliada em R$ 7 milhões. Marinho colocou à venda esse imóvel. Também é dono de uma ilha em Paraty, Rio.