Promotoria denuncia delegado por propina de R$ 100 mil para enterrar investigação

Marcos Garcia Fuentes, da seccional de Rio Claro, é acusado de solicitar valores de uma investigada para conduzir inquéritos 'a seu modo'

Luiz Vassallo

14 Dezembro 2017 | 20h10

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público em Piracicaba (SP) denunciou o delegado da Polícia Civil de Rio Claro Marcus Garcia Fuentes e outras oito pessoas por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no âmbito da Operação Fumaça.

Segundo apontam os investigadores, o delegado teria cobrado propinas de R$ 100 mil de uma mulher por ele investigada em troca de ‘conduzir os inquéritos a seu modo’.

Os promotores do Gaeco em Piracicaba afirmam que os pagamentos teriam sido ocultados por meio da compra de um automóvel, em nome da mulher de Fuentes, que teria sido quitado pela vítima da suposta extorsão.

O próprio delegado teria indicado à mulher por ele investigada os advogados Marcelo Aith e Mário Rogério dos Santos que ficariam responsáveis por sua defesa.


Nos esquemas, segundo o Ministério Público, os defensores tinham o papel de intimidar a própria cliente com o fim de convencê-la a pagar as propinas ao delegado. Eles chegaram a comparecer à casa da vítima e apresentado dois mandados falsos se prisão, de acordo com os promotores.

De acordo com as investigações, os advogados chegaram a oferecer um contrato de R$ 3,8 milhões da vítima.

Fuentes é acusado ainda de usar o investigador André Barbalho de Toledo para fazer os pedidos de propinas.

A reportagem está tentando contato com os investigados.

COM A PALAVRA, A SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO

A Corregedoria da Polícia Civil informa que prestou apoio à operação do Gaeco, na manhã do dia 5 de dezembro, em Rio Claro. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa de dois policiais civis. A mulher de um dos policiais também é investigada. Computadores foram apreendidos e os envolvidos conduzidos ao Fórum para prestar depoimento.

COM A PALAVRA, FUENTES

A reportagem entrou em contato com a delegacia de Rio Claro. O espaço está aberto para manifestação do delegado Marcos Garcia Fuentes.

COM A PALAVRA, O ADVOGADO MARCELO AITH

A reportagem tentou contato, por telefone, sem sucesso, com o advogado. O espaço está aberto para manifestação.

COM A PALAVRA, O ADVOGADO MÁRIO ROGÉRIO DOS SANTOS

A reportagem tentou contato, por telefone, com o advogado. O espaço está aberto para manifest