Procuradores enviam lista tríplice a Alckmin

Nomes foram escolhidos como sugestão para cargo de procurador-geral do Estado

Redação

23 Dezembro 2014 | 17h21

Fausto Macedo e Ricardo Chapola

A Associação dos Procuradores do Estado de São Paulo encaminhou ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) a lista com três nomes eleitos pela classe como forma de sugestão para o comando da Procuradoria Geral do Estado (PGE). Com votos de 546 procuradores do Estado foram indicados Marcia Semer (ex-presidente da Associação e conselheira na Procuradoria Geral do Estado), Flávia Cristina Piovesan (professora da PUC) e Derly Barreto e Silva Filho (membro do conselho superior da PGE).

Os procuradores exercem função essencial para o Estado. A eles cabe a defesa do Estado e a orientação jurídica do governo. A eleição da lista tríplice é uma experiência inédita na história da categoria. A exemplo de outras entidades que abrigam outras carreiras jurídicas eles escolheram três nomes, ora enviados à apreciação de Alckmin, que detém a prerrogativa de fazer a indicação do chefe da instituição.

Os três procuradores eleitos divulgaram carta sobre a importância da participação da categoria na eleição. “Neste 2014, a Associação dos Procuradores do Estado de São Paulo, ao promover pioneiramente eleições, em lista tríplice, para o cargo de procurador geral do Estado, deu concretude ao projeto, encaminhamento à proposta e vida à ideia de participação da classe e da sociedade na construção coletiva do órgão de Advocacia Pública do Estado de São Paulo, a exemplo do que já se passa com as demais funções essenciais à Justiça em nosso Estado.”

Os nomes foram encaminhados a Alckmin. Atualmente, a PGE está sob comando do procurador-geral Elival da Silva Ramos. Os indicados pela categoria reafirmam a “inabalável convicção na relevância singular da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo para a condução reta da administração pública paulista” e declararam “o apoio mútuo, indistinto e incondicional aos três nomes sufragados pelos procuradores do Estado de São Paulo nas eleições recém-realizadas”.

LEIA A INTEGRA DA CARTA SUBSCRITA PELOS TRÊS PROCURADORES INDICADOS PELA CLASSE PARA PROCURADOR GERAL DO ESTADO

Colegas,
… que a importância de uma coisa não se mede com fita métrica nem com balanças nem barômetros etc. Que a importância de uma coisa há de ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós. (Manoel de Barros)
A construção coletiva de um projeto, de uma instituição, de um país é uma ideia daquelas que dominam o imaginário das pessoas por todo o mundo. É indiscutivelmente uma proposta que move a humanidade, e move porque produz encantamento.
A Procuradoria Geral do Estado de São Paulo é uma instituição pública, órgão estatal de advocacia constitucionalmente consagrada como essencial à Justiça.
A construção coletiva dessa instituição é uma ideia, que já virou proposta e se tornou projeto, tudo em virtude do encantamento.
Neste 2014, a APESP – Associação dos Procuradores do Estado de São Paulo, ao promover pioneiramente eleições, em lista tríplice, para o cargo de Procurador Geral do Estado, deu concretude ao projeto, encaminhamento à proposta e vida à ideia de participação da classe e da sociedade na construção coletiva do órgão de Advocacia Pública do Estado de São Paulo, a exemplo do que já se passa com as demais funções essenciais à Justiça em nosso Estado.
Pleito de inegável importância, a eleição em lista tríplice do Procurador Geral do Estado é iniciativa que em nós, em todos que tomaram parte desse processo eleitoral e nos muitos que o acompanham Brasil afora, produz enorme encantamento. Daí nossos cumprimentos destacados à brava diretoria da APESP. Além dos mais sinceros e entusiasmados agradecimentos à confiança e reconhecimento profissional que recebemos dos colegas Procuradores de São Paulo.
Depositários, pois, dessa confiança coletiva, vimos nesta mensagem reafirmar nossa inabalável convicção na relevância singular da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo para a condução reta da Administração Pública paulista, bem assim manifestar o apoio mútuo, indistinto e incondicional aos três nomes sufragados pelos Procuradores do Estado de São Paulo nas eleições recém realizadas.
Que em 2015 a Advocacia Pública paulista possa povoar não apenas o imaginário, mas seu cotidiano com o encantamento da construção coletiva de uma instituição pública comprometida em trabalhar por uma sociedade livre, justa e solidária.
Márcia Semer, Flávia Piovesan, Derly Barreto