Polícia prende 35 homens em ação contra pedofilia

Polícia prende 35 homens em ação contra pedofilia

Entre os alvos da Operação Harpócrates, deflagrada nesta terça-feira, 20, estava um suspeito que trabalhava em um buffet infantil e outro que atuava em uma escola

Julia Affonso

20 Fevereiro 2018 | 16h37

Foto: Secretaria de Segurança Pública de São Paulo

A Polícia Civil de São Paulo prendeu 35 homens que armazenavam imagens pornográficas envolvendo crianças nesta terça-feira, 20. Os flagrantes ocorreram durante a Operação Harpócrates, deflagrada em 21 cidades da Grande São Paulo e Capital, contra a pedofilia.

“Nosso foco é prender os autores e salvar vítimas”, disse Gilmara Natália dos Santos, delegada do SIG de Taboão da Serra.

O delegado Márcio Fruet, do Setor de Investigações Gerais (SIG) da Seccional de Taboão da Serra, relatou que um suspeito trabalhava em um buffet infantil e outro em uma escola. As informações foram divulgadas pela Polícia.

“As investigações vão apontar se além de armazenar as imagens, os acusados produziam e praticavam pessoalmente essa violência”, afirmou.

“A princípio, todos os indiciados foram autuados em flagrante pelo armazenamento de imagens em computadores e celulares. Após analisar os equipamentos também será possível constatar se os suspeitos trocavam informações entre si.”

Cerca de 250 agentes do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro) foram às ruas nesta terça após seis meses de trabalho de inteligência. A apuração teve início após uma denúncia anônima que levantou 49 alvos em diferentes municípios.

De acordo com o delegado Márcio Fruet, a denúncia apontava uma pessoa que armazenava e distribuía imagens pornográficas de crianças na região de Taboão da Serra.

“Iniciamos as apurações e identificamos uma rede de pedofilia com tentáculos em toda a Grande São Paulo”, afirmou.