Picciani, Melo e Albertassi se entregam à PF

Picciani, Melo e Albertassi se entregam à PF

Presidente da Assembleia Legislativa do Rio, seu antecessor e um terceiro deputado, todos do PMDB, estão sob suspeita de receber milhões em propina do setor de transporte; os parlamentares tiveram prisão decretada pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região

Constança Rezende

16 Novembro 2017 | 16h54

Jorge Picciani se entrega na sede da Polícia Federal, no Centro do Rio. Foto: LUIZ ACKERMANN/AGÊNCIA O DIA/

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB) se entregou às 16h43 desta quinta-feira, 16, na Polícia Federal. Ele chegou acompanhado do seu advogado Nelio Machado. Picciani não quis falar com a imprensa.

A prisão de Picciani foi decretada hoje na Primeira Seção Especializada, do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região, por unanimidade. A Corte Federal também ordenou a prisão do ex-presidente Paulo Melo (PMDB) e do líder de governo Edson Albertassi (PMDB). A Alerj vai decidir se solta ou não os deputados.

Paulo Melo. Foto: Fabio Motta/Estadão

Justiça decreta prisão do ‘Rei do Ônibus’ de novo

Paulo Melo (PMDB), se entregou na Polícia Federal às 17h. O deputado estava com uma mochila e acompanhado de advogados.

Edson Albertassi chegou às 17h55 na sede da PF, com uma mala na mão.

+ No Zap, Pezão recorreu a Picciani para reconduzir juiz ao TRE do Rio

Empresa de Picciani fez até ‘terceirização’ de lavagem de dinheiro, diz Procuradoria

Picciani e Paulo Melo pegaram R$ 112 mi em propinas, diz Procuradoria