PF vasculha casa de Blairo

PF vasculha casa de Blairo

Pedido de busca é da Procuradoria-Geral da República

Fausto Macedo e Julia Affonso

14 Setembro 2017 | 07h51

Blairo Maggi. Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

A Polícia Federal faz buscas nesta quinta-feira, 14, na casa do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em Brasília, na Operação Malebolge. Investigado em inquérito perante o Supremo Tribunal Federal, por organização criminosa, Blairo foi citado na delação premiada do ex-governador do Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB).

A 12ª fase da Ararath tem como objetivo cumprir mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal em 64 endereços.

Participam da ação 270 pessoas dentre policiais federais e membros do MPF nos seguintes municípios: Cuiabá/MT, Rondonópolis/MT, Primavera do Leste/MT, Araputanga/MT, Pontes e Lacerda/MT, Tangará da Serra/MT, Juara/MT, Sorriso/MT, Sinop/MT, Brasília/DF e São Paulo/SP.


Silval diz ter sido orientado por Blairo a ‘comprar apoio político’

+ Blairo declarou ao TSE aumento de R$ 120 mi em bens em 4 anos

Na delação, Silval Barbosa confessou ter intermediado repasse de R$ 4 milhões, a pedido de Blairo e do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, ao deputado federal Carlos Bezerra, em 2008, com o fim de comprar apoio do PMDB nas eleições municipais. À época, segundo Barbosa, o partido teria declarado apoio ao adversário do aliado de Blairo.

O delator narrou que o então Secretário de Fazenda de Mato Grosso Eder Moraes foi designado a conseguir os valores para pagar Bezerra e que apresentou ao chefe da pasta o operador financeiro Júnior Mendonça, que teria conseguido R$ 3,3 milhões – ‘parte em cheque, parte em dinheiro’.

Quando pediu a abertura de inquérito, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, atribuiu ao ministro da Agricultura ‘a função de liderança mais proeminente na organização criminosa’ delatada por Silval Barbosa. O procurador citou o ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso José Geraldo Riva.

“Entre os agentes políticos, destaca-se a figura de Blairo Borges Maggi, o qual exercia  incontestavelmente a função de liderança mais proeminente na organização criminosa, embora se possa afirmar que outros personagens tinham também sua parcela de comando no grupo, entre eles o próprio Silval Barbosa e José Geraldo Riva”, afirmou Janot.

Mais conteúdo sobre:

Blairo Maggi