PF já está em Roma para buscar Pizzolato

PF já está em Roma para buscar Pizzolato

Ex-diretor do Banco do Brasil, condenado no processo do Mensalão, deve chegar ao Brasil na quarta-feira

Andreza Matais, de Brasília, e Julia Affonso

05 Outubro 2015 | 19h03

PIZZOLATO

O ex-diretor do BB condenado no mensalão, Henrique Pizzolato

Um delegado e três agentes da Polícia Federal desembarcaram nesta segunda-feira, 5, em Roma para buscar o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato. Ele deve ser levado pela PF italiana da cidade de Maranello para Roma nesta quarta-feira quando será entregue aos policiais brasileiros.

A previsão é que o ex-diretor chegue ao Brasil nesse mesmo dia. Pizzolato será levado a São Paulo em avião de carreira e de lá embarcará num avião da PF para Brasília onde fará exame de corpo de delito e depois seguirá para a penitenciária da Papuda onde cumprirá pena – mesmo endereço que já abrigou outros condenados do Mensalão como o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula). Uma das agentes que participam da missão é médica.

[veja_tambem]


Pizzolato foi condenado a 12 anos e sete meses de prisão pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva no julgamento do mensalão, em 2012. Ele fugiu para Itália em 2013 usando passaporte falso em nome do irmão Celso, morto havia mais de 30 anos, e foi preso em fevereiro do ano passado, na casa de um sobrinho, em Maranello.

O ex-diretor ficou até 28 de outubro de 2014 na penitenciária de Módena, quando o Tribunal de Bolonha negou sua extradição ao Brasil. Ele ficou livre até 11 de fevereiro deste ano, quando a Corte de Cassação concedeu a extradição, decisão contra a qual entrou com o pedido de liminar, sem sucesso. Desde então, o condenado no mensalão aguarda preso a decisão sobre seu retorno ao País.