1. Usuário
Fausto Macedo
Assine o Estadão
assine
Fausto Macedo

Fausto Macedo

Repórter

EM ALTA

Pesquisa

Petrobrás é o segundo maior escândalo de corrupção do mundo, aponta Transparência Internacional

Por Fausto Macedo e Fernanda Yoneya

10/02/2016, 22h15

   

Organização Não Governamental sediada em Berlim promoveu pesquisa pela internet e verificou que esquema de propinas na estatal brasileira, descoberto na Operação Lava Jato, só perde para ex-presidente ucraniano

petrolista

O esquema de propinas instalado na Petrobrás entre 2004 e 2014 foi eleito o segundo maior caso de corrupção do mundo, aponta pesquisa da ONG Transparência Internacional.

A estatal petrolífera brasileira desponta entre os maiores escândalos de malfeitos em todo o planeta.

Transparência promoveu uma votação de âmbito internacional pela internet sobre os episódios mais importantes da corrupção. Foram citados 400 casos.

Com 11.900 votos, a Petrobrás pegou o segundo posto, ficando atrás apenas de Viktor Yanukovych, ex-presidente da Ucrânia (2010/2014), merecedor de 13.210 votos.

As informações sobre a enquete da Transparência Internacional foram divulgadas no site da ONG nesta quarta-feira, 10.

O esquema na Petrobrás, desmontado na Operação Lava Jato, supera, na avaliação dos entrevistados, outros capítulos marcantes de fraudes, como o caso Fifa (1.844 votos) e o do ex-presidente panamenho Ricardo Martinelli (10.166 votos), acusado pelo desvio de US$ 100 milhões.

A lista faz parte da campanha ‘Desmascare os corruptos’, da Organização Não-Governamental sediada em Berlim que, em janeiro, declarou apoio à uma outra campanha, 10 Medidas contra a Corrupção.

Idealizado pelo Ministério Público Federal brasileiro a partir do combate ao esquema de propinas na Petrobrás, o projeto 10 Medidas contra a Corrupção já conta 1,3 milhão de assinaturas e será levado ao Congresso quando atingir 1,5 milhão de adesões.

A Petrobrás informou que não vai comentar a pesquisa da Transparência Internacional.

A LISTA DOS MAIORES CASOS DE CORRUPÇÃO NO MUNDO, SEGUNDO A ONG TRANSPARÊNCIA INTERNACIONAL

1) Ex-presidente da Ucrânia Viktor Yanukovych (13.210 votos)

2) Petrobrás (11.900 votos)

3) Ricardo Martinelli, ex-presidente do Panamá (10.166 votos)

4) Felix Bautista, senador dominicano (9.786 votos)

5) Fifa (1.844 votos)

6) Sistema político do Líbano (606 votos)

7) Akhmad Kadyrov Foundation (194 votos)

8) Zine al-Abidine Bem Ali, ex-ditador da Tunísia entre 1987 e 2011 (152 votos)

9) Estado americano de Delaware (107 votos)

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.