1. Usuário
Fausto Macedo
Assine o Estadão
assine
Fausto Macedo

Fausto Macedo

Repórter

EM ALTA

Crise Política

Para jornal alemão, crise política brasileira é ‘melhor’ que House of Cards

Por Mateus Coutinho

14/03/2016, 04h27

   

Avanços da Lava Jato e os embates da oposição que tenta derrubar o governo Dilma Rousseff chamam atenção do jornal Die Zeit que avalia que o cenário brasileiro está melhor que a série de ficção

house-of-cards

O inescrupuloso personagem Frank Underwood, de House of Cards. Foto: Divulgação

O conturbado cenário político do Brasil tem chamado a atenção da imprensa internacional, que já faz até comparações com a ficção para tentar descrever a grave crise política vivida no País. Em reportagem divulgada nesta semana, o jornal alemão Die Zeit diz que as intrigas políticas e investigações no Brasil estão melhores que a série americana House of Cards, que conta a história do inescrupuloso político americano Frank Underwood e suas manobras para chegar ao poder.

“Por estes dias, é difícil entender por que ainda há pessoas que se interessam por House of Cards. Elas não acompanham as notícias da política brasileira?”, pergunta o correspondente do jornal no Rio de Janeiro, Thomas Fischermann.

O repórter contextualiza o avanço das investigações da Operação Lava Jato, que cada vez amplia mais o leque de políticos investigados por suspeita de participarem do esquema de corrupção na Petrobrás e até em outras estatais, e cita os esforços da oposição para tentar derrubar Dilma.

Segundo a reportagem, a oposição tentou incriminá-la no escândalo da Petrobrás “só que, para decepção deles, Dilma não tinha nada que ver com isso”, escreve o correspondente.

Avenida Paulista é tomada por manifestantes vestidos de verde e amarelo
Daniel Teixeira / Estadão
Manifestação

A Polícia Militar chegou a restringir o acesso de pessoas à Avenida Paulista. O argumento foi o excesso de pessoas no local

“Há um promotor que quer meter na cadeia um ex-presidente, cuja metade de sua equipe já está atrás das grades. Um presidente parlamentar que teria colocado milhões em propinas em contas na Suíça, mas que, mesmo assim, continua no cargo e, com acusações de corrupção, quer afastar outros políticos do poder. E há protestos nas ruas, nos quais pessoas pedem o retorno da ditadura militar. Elas dizem: num sistema político falido como esse, qual a diferença?”, diz a reportagem.

Em seguida, Fischermann lembra que, recentemente, a revista americana Americas Quarterly comparou a crise política brasileira com a popular série do serviço de streaming Netflix – e concluiu que a política brasileira é bem mais interessante. Desde então, mais coisas aconteceram, escreve o jornalista. Segundo ele, os acontecimentos “cheios de aventuras” dos últimos dias são fora do normal até mesmo para os padrões brasileiros.

Para o jornalista estrangeiro, a única coisa que falta na trama política brasileira é uma moral. “Claro que se pode afirmar categoricamente – como fazem alguns manifestantes por esses dias – que todos os políticos suspeitos de corrupção deveriam ser varridos para fora. Mas aí não sobraria quase ninguém em Brasília. A única possível exceção seria justamente Dilma Rousseff.”

(Visited 47 time, 5 visit today)

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.