Papa nomeia arcebispo de Uberaba para ‘governar’ diocese do bispo preso

Papa nomeia arcebispo de Uberaba para ‘governar’ diocese do bispo preso

Francisco escolheu Dom Paulo Mendes Peixoto administrador apostólico da Diocese de Formosa, em Goiás, onde o bispo dom José Ronaldo, alvo maior da Operação Caifás, do Ministério Público de Goiás, foi detido na segunda-feira, 21

Fausto Macedo e Julia Affonso

21 Março 2018 | 13h55

Dom Paulo Mendes Peixoto. Foto: CNBB Regional centro-Oeste

O Papa Francisco nomeou o arcebispo de Uberaba (MG), dom Paulo Mendes Peixoto, administrador apostólico da Diocese de Formosa. A função de dom Peixoto será governar a Diocese que está sem bispo desde segunda-feira, 21, quando dom José Ronaldo foi preso na Operação Caifás, por suspeita de articular um esquema na Igreja Católica que teria desviado R$ 2 milhões do dízimo dos fiéis.

Nota da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Regional Centro-Oeste, destaca que a Nunciatura Apostólica no Brasil comunicou na manhã desta quarta-feira, 21, que ‘o papa Francisco nomeou o arcebispo de Uberaba (MG), dom Paulo Mendes Peixoto, Administrador Apostólico, sede plena da diocese de Formosa (GO)’.

Dom José Ronaldo. Foto: Diocese de Formosa

Dom Paulo Mendes Peixoto, natural de Imbé (MG), foi ordenado bispo em 25 de fevereiro de 2006, para a Diocese de São José do Rio Preto (SP). Tornou-se o bispo responsável pela Rede Vida de Televisão e bispo referencial para a Animação Bíblico-Catequética do Regional Sul 1 da CNBB.

No dia 7 de março de 2012 foi nomeado pelo Papa Bento XVI arcebispo da Arquidiocese de Uberaba. Tomou posse no dia 1.º de maio de 2012.

“A função de dom Paulo, no momento, é governar a Diocese até que se resolva a situação da Diocese e até ser nomeado um novo bispo”, destacou a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Regional Centro-Oeste.

O comunicado sobre a nomeação do Administrador Apostólico foi feita a Dom José Ronaldo, pessoalmente, pelo presidente do Regional Centro-Oeste da CNBB (Estado de Goiás e Distrito Federal), Dom Messias dos Reis Silveira.

Dom José Ronaldo é o alvo maior da Operação Caifás, missão conjunta do Ministério Público de Goiás e da Polícia Civil.

Na segunda-feira, 21, além do bispo, a força-tarefa de promotores e policiais prendeu quatro padres, o vigário-geral e o monsenhor Epitácio Cardoso.

No fundo falso de um armário no quarto do monsenhor, os agentes encontraram R$ 70 mile dólares em dinheiro vivo e mais uma caixa recheada de cédulas e moedas.

O Ministério Público começou a investigar o esquema de desvios na Diocese de Formosa em dezembro, a partir de denúncias de fiéis que exigiam transparência na prestação de contas da Igreja.

A investigação mostra que, além do dízimo e das doações, o grupo de religiosos teria desviado dinheiro arrecadado em eventos festivos da Igreja.

COM A PALAVRA, A DIOCESE DE FORMOSA

A reportagem fez contato com a Diocese de Formosa, mas ainda não obteve resposta. O espaço está aberto para manifestação.

COM A PALAVRA, A CNBB REGIONAL CENTRO-OESTE

A C onferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)/Regional Centro-Oeste, informou que dom Paulo Peixoto ‘não assumirá a Cátedra da Diocese de Formosa’.

“Dom Paulo Mendes Peixoto vai administrar a diocese até ser nomeado o novo bispo diocesano, pelo papa Francisco.”

“A função de Dom Paulo, no momento, é governar a diocese até que se resolva a situação da Diocese e até ser nomeado um novo bispo.”

“O comunicado sobre a nomeação do Administrador Apostólico foi feita a Dom José Ronaldo, pessoalmente, pelo presidente do Regional Centro-Oeste da CNBB (Estado de Goiás e Distrito Federal), Dom Messias dos Reis Silveira.”

“Dom Paulo contará com uma equipe que vai ajudá-lo, inclusive o bispo auxiliar de Brasília, Dom José Aparecido, que está mais próximo de Formosa.”

Mais conteúdo sobre:

GoiásReligião