‘Os que ainda não foram alcançados pela Justiça é porque estão escondidos sob o manto da impunidade’, diz Marina

Pré-candidata à Presidência pela Rede se manifesta após juiz Sérgio Moro determinar que ex-presidente Lula se apresente 'voluntariamente' à PF

Luiz Fernando Teixeira

05 Abril 2018 | 21h26

Marina Silva. FOTO: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO

Pré-candidata à Presidência pela Rede Sustentabilidade, Marina Silva se manifestou sobre a ordem de prisão contra Lula expedida pelo juiz Sérgio Moro, dando ao petista a oportunidade de se entregar ‘voluntariamente’ à Polícia Federal em Curitiba, base da Lava Jato. Moro estipulou a Lula que se apresente até às 17h desta sexta-feira, 6, menos de 24h depois de expedir a decisão.

Marina sinaliza que a Operação Lava Jato ainda deve atingir outras figuras públicas. “Os que ainda não foram alcançados pela Justiça é porque estão escondidos sob o manto da impunidade do foro privilegiado”, afirmou.

Apesar disso, a ex-ministra declarou que ‘a prisão de um ex-presidente é um acontecimento triste em qualquer país’ e que ‘as decisões da Justiça devem ser respeitadas por todos e aplicadas igualmente para todos’ em uma democracia.

Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do caso triplex do Guarujá. Na madrugada desta quinta-feira, 5, o petista sofreu revés no Supremo Tribunal Federal, que negou habeas corpus preventivo movido pelo petista para poder recorrer em liberdade até a última instância contra a sentença da Lava Jato.

Mais conteúdo sobre:

Marina SilvaLulaSérgio Moro