Os ‘escudeiros’ de Raquel

Os ‘escudeiros’ de Raquel

Sucessora de Rodrigo Janot na Procuradoria-Geral da República tomou posse nesta segunda-feira, 18; em discurso, afirmou que 'o trabalho será cotidiano e extenuante'

Beatriz Bulla, de Brasília

19 Setembro 2017 | 05h00

Raquel Dodge. Foto: Dida Sampaio/Estadão

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, tomou posse nesta segunda-feira, 18, no Auditório JK, na sede da Procuradoria-Geral da República, em Brasília. Ela assume a cadeira que durante quatro anos foi ocupada por Rodrigo Janot no comando do Ministério Público Federal.

A equipe de Raquel:

Luciano Maia, vice-procurador-geral da República

Luciano Maia. FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA SENADO

Subprocurador-geral da República, com trabalho voltado à defesa das questões indígenas. Como vice-procurador-geral da República, pode substituir Raquel em caso de impedimentos e viagens, inclusive nas sessões do plenário do Supremo Tribunal Federal.

Humberto Jacques de Medeiros, vice-procurador-geral Eleitoral

Humberto Jacques de Medeiros. FOTO: ROBERTO STUCKERT FILHO/PR

Atua por delegação da procuradora-geral no Tribunal Superior Eleitoral e terá competência perante a Corte para opinar nas questões envolvendo eleição presidencial em 2018. É subprocurador-geral e foi vice-presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).

José Alfredo Silva, coordenador do grupo de trabalho da Lava Jato

José Alfredo de Paula Silva. FOTO: CELSO JUNIOR/ESTADÃO

Procurador é lotado na Procuradoria Regional da República na 1ª Região e tem experiência em investigações criminais, incluindo o trabalho com Raquel Branquinho no mensalão.

Raquel Branquinho, secretária da Função Penal no STF

Raquel Branquinho. FOTO CELSO JUNIOR/ESTADÃO

O grupo de trabalho da Lava Jato é subordinado a essa secretaria. Raquel Branquinho construiu carreira na investigação de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e outros, tendo atuado em casos emblemáticos como o Banestado e o mensalão. É procuradora regional da República da 1.ª Região.

Alexandre Camanho, secretário-geral Jurídico

Alexandre Camanho. FOTO: ROBERTO STUCKERT FILHO/PR

Considerado um dos nomes mais próximos de Raquel, ajudou na equipe de transição da nova procuradora-geral da República. Foi presidente da ANPR. Ex-procurador-chefe da Procuradoria Regional da República na 1.ª Região, atua desde 2014 no combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo.

André de Carvalho Ramos, secretário de Direitos Humanos

André de Carvalho Ramos. FOTO: FERNANDO OTTO/ ESTADÃO

Procurador regional da República da 3.ª Região, é professor de Direito Internacional e Direitos Humanos da USP.

Paulo Gonet Branco, secretário da Função Constitucional

Paulo Gonet Branco. FOTO: IUSEF SOARES/IDP

Subprocurador-geral da República, com atuação nas Turmas do Supremo Tribunal Federal e professor de direito constitucional na UNB.