1. Usuário
Fausto Macedo
Assine o Estadão
assine
Fausto Macedo

Fausto Macedo

Repórter

EM ALTA

‘Olha o Lula… olha a Polícia Federal…’, cantam quadrilha para deputado do PT

Por Fausto Macedo e Ricardo Brandt

09/02/2016, 18h41

   

Vander Loubet (MS), denunciado pela Procuradoria na Lava Jato, é cercado por manifestantes em Campo Grande que o ironizam; assista ao vídeo

Denunciado em dezembro pela Procuradoria-Geral da República por corrupção passiva (onze vezes) e lavagem de dinheiro (99 vezes), o deputado Vander Loubet (PT-MS), alvo da Operação Lava Jato, viveu uma cena de constrangimento neste carnaval em Campo Grande, onde reside. Sentado à mesa de uma cafeteria ele se viu repentinamente cercado por manifestantes que dançaram a quadrilha para ele.

“Olha o Lula’, cantavam ao redor do parlamentar.

“Olha a Polícia Federal…”

Loubet permaneceu imóvel em sua cadeira, de braços cruzados, enquanto o grupo se divertia, dançando à sua volta.

As imagens de Loubet alvo da quadrilha foram divulgadas nesta terça-feira de carnaval, 9, pelo site O Antagonista.

‘Pula a fogueira iá iá, pula a fogueira iô iô… cuidado para não se queimar’, iam e vinham.

O petista é acusado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de recebimento de propinas que somaram R$ 1,028 milhão em esquema de corrupção instalado na BR Distribuidora.

Ao denunciar Loubet criminalmente perante a Corte máxima, Janot atribuiu ao parlamentar ligação com “grupo criminoso” que repassava a ele valos ilícitos “em função da ascendência que o Partido dos Trabalhadores exercia sobre parte da Petrobrás Distribuidora S/A”.

“O parlamentar, em conjunto com seus auxiliares, acabou aderindo à organização criminosa preordenada à prática de crimes de peculato, de corrupção ativa e passiva e de lavagem de dinheiro no âmbito da BR Distribuidora”, afirma o procurador-geral da República, que pediu ao Supremo decretação da perda do mandato de Loubet.

O deputado não foi localizado para comentar a dança da quadrilha.

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.