‘O Zé entrega o Supremo’

‘O Zé entrega o Supremo’

Em áudio levado acidentalmente à Procuradoria-Geral da República por executivos da JBS, delatores do grupo sugerem a existência de um certo 'Zé' que, se pressionado, 'não aguentaria meia hora, e entregaria o Supremo'

Da Redação

05 Setembro 2017 | 13h23

Joesley Batista. FOTO: AYRTON VIGNOLA/ESTADÃO

Um dos trechos do áudio que pode levar à rescisão do acordo da JBS com a Procuradoria-Geral da República revela diálogo em que Joesley Batista e Ricardo Saud mencionam um tal ‘Zé’, que, se pego, ‘não duraria meia hora’, e ‘entregaria o Supremo’.

Partes do áudio foram divulgadas pelo site da revista Veja nesta terça-feira, 5.

A gravação foi entregue, provavelmente por descuido dos executivos, à Procuradoria-Geral da República na última quinta-feira, 31, em um anexo complementar da delação que mencionava o senador Ciro Nogueira (PP).

O procurador-geral da República pediu investigação, nesta segunda-feira, 4, sobre o áudio, que tem duração de 4 horas. Joesley e Saud  mencionam que o advogado Marcelo Miller, à época em que era procurador federal, teria atuado para garantir facilidades aos delatores no âmbito do termo de colaboração.

Em uma parte da conversa, os empresários afirmam que alguém ‘surtou por causa do Zé’.

“Sabe que se nós entregar o Zé, nós entrega o Supremo”.

“Falei pro Marcelo: ‘Marcelo, você quer pegar o Supremo? Entrega o Zé. O Zé entrega o Supremo. Não, que isso, não aguenta meia hora.”.

Os executivos ainda mencionam um ‘cara’ que ‘falou que tem cinco ministros do Supremo na mão dele’

Janot pediu abertura de inquérito sobre a possível omissão de crimes pelos delatores e para investigar a menção ao ex-procurador da República.

Segundo o chefe do Ministério Público Federal, a investigação pode culminar com a anulação do acordo da JBS, mas está fora de cogitação anular as provas entregues pelos executivos.