O laudo da PF que aponta suspeitas de fraude e desvios da chapa Dilma-Temer

O laudo da PF que aponta suspeitas de fraude e desvios da chapa Dilma-Temer

Documento de 80 páginas com quebras de sigilo de gráficas que prestaram serviço para a campanha que venceu as eleições 2014 foi juntado aos autos da ação que pede a cassação de Michel Temer

Redação

16 Dezembro 2016 | 19h53

Michel Temer e Dilma. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Michel Temer e Dilma. Foto: Dida Sampaio/Estadão

A força-tarefa da Polícia Federal, Receita e Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) criada por determinação do Tribunal Superior Eleitoral para analisar as contas da campanha da chama Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) que venceu as eleições de 2014 encaminhou nesta quinta-feira, 15, um laudo ao ministro Herman Benjamin, relator da ação movida pelo PSDB que pede a cassação da chapa.

Nas 80 páginas do documento, os peritos apontam indícios de “desvio de finalidade” dos recursos da chapa. O próprio Ministério Público Eleitoral também analisou o relatório e apontou a existência de indícios de “fortes traços de fraude e desvio de recursos” da campanha. Diante do documento, o ministro Herman Benjamin deu nesta sexta-feira, 16, o prazo de cinco dias para as partes envolvidas na ação de manifestarem.

COM A PALAVRA, A DEFESA DE DILMA ROUSSEFF:

“Em complemento à perícia anterior, os novos trabalhos periciais apresentados ao TSE pecam pela inconsistência e pela falta de conclusões concretas.

É inadmissível que após quase 2 anos de intensa investigação sobre as contas da chapa Dilma-Temer, inclusive com quebra de sigilos bancários de pessoas físicas e jurídicas, tenha-se concluído de forma genérica por supostos traços de fraude e desvio.

O referido laudo não apresenta nenhum fato, nem qualquer documento que embase suas conclusões genéricas. Laudo pericial deve ser feito para produzir provas, não se prestando a meras ilações ou conjecturas.

É também inaceitável e juridicamente reprovável que os Srs. peritos judiciais, em ofensa a ampla defesa, deixem de analisar e examinar os mais de 8 mil documentos juntados pela defesa e que atestam a regularidade dos serviços gráficos prestados para a campanha presidencial.

A defesa de Dilma Rousseff adotará as medidas judiciais cabíveis.

Flavio Crocce Caetano
Advogado de Dilma Rousseff”

Notícias relacionadas

Mais conteúdo sobre:

Michel TemerTSEPolícia Federal