O chororô de Geddel

O chororô de Geddel

Em julho, durante audiência de custódia na Justiça Federal em Brasília, ex-ministro foi às lágrimas ao se declarar 'surpreso' com investigações que o levaram à prisão pela primeira vez, na época por supostamente pressionar doleiro Lúcio Funaro a não fechar acordo de delação premiada

Luia Vassallo e Julia Affonso

08 Setembro 2017 | 13h22

Durante audiência de custódia conduzida pelo juiz Vallisney Oliveira, da 10.ª Vara Federal de Brasília, em julho, o ex-ministro Geddel Vieira Lima chorou. Na ocasião, ele estava preso na Papuda, por suposta obstrução de Justiça – ele teria pressionado o doleiro Lúcio Funaro a não fazer delação premiada. Perante o magistrado, Geddel foi às lágrimas e se disse ‘surpreso’ com as investigações. Nada falou sobre o bunker de R$ 51 milhões em Salvador que nesta sexta-feira, 8, o levou novamente para a cadeia.

“Tenho 58 anos de idade e nenhum problema, nem responder cheque sem fundo”, disse, então.