‘Temos que operar o Marcelo direitinho pra chegar no Janot’

‘Temos que operar o Marcelo direitinho pra chegar no Janot’

O áudio que pode levar à rescisão da delação da JBS revela o executivo Joesley Batista mencionando o ex-procurador da República Marcelo Miller em suposta atuação em benefício dos delatores

Da Redação

05 Setembro 2017 | 14h23

O empresário Joesley Batista chega à sede da PF Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA

O áudio que pode levar à rescisão da delação da JBS revela o executivo Joesley Batista ressaltando a necessidade de ‘operar o Marcelo direitinho pra chegar no Janot’. Trechos da gravação foram obtidos pelo site da revista Veja.

A gravação foi entregue, provavelmente por descuido dos executivos, à Procuradoria-Geral da República na última quinta-feira, 31, em um anexo complementar da delação que mencionava o senador Ciro Nogueira (PP).

O procurador-geral da República pediu investigação, nesta segunda-feira, 4, sobre o áudio, que tem duração de 4 horas. Joesley e Saud  mencionam que o advogado Marcelo Miller, à época em que era procurador federal, teria atuado para garantir facilidades aos delatores no âmbito do termo de colaboração.

Em áudio, Joesley cita estar alinhado a um ‘Marcelo’ para ‘chegar no Janot’.

Joesley: Nós dois temos que operar o Marcelo direitinho pra chegar no Janot. É o que eu acho, falei pra Fernanda, que nós nunca podemos ser o primeiro, temos que ser o último, temos que fechar a tampa do caixão. Eu falei “Fernanda, nós não podemos ser nunca quem vai dar o primeiro tiro, nós temos que ser quem vai dar o último tiro. Nós temos que bater o prego da tampa”. Nós, em tudo que a gente faz, e eu sou muito assim também, nós somos intensos. Nós fomos intenso em fazer, nós vamos ter que ser intensos em delatar. Nós não foms quem mais fizemos lá? É o mesmo comportamento.

Ricardo Saud: [inaudível]

Joesley: Não é que não tem. Nós vamos, eu já falei pro Francisco: tem que resolver isso,nós vamos ajeitar. Fernandinha, você vai ajeitar o Marcelo, que nós já estamos ajeitando. Nós vamos conhecer o Janot, nós vamos conhecer não sei quem, e quem precisa do que?

Janot pediu abertura de inquérito sobre a possível omissão de crimes pelos delatores e para investigar a menção ao ex-procurador da República.

Na petição, o procurador-geral da República afirma que ‘em alguns trechos, Ricardo Saud afirma que já estaria ‘ajeitando’ a situação do grupo empresarial J&F com o então procurador da República Marcelo Miller, bem como que Marcelo Miller estaria ‘afinado’ com eles’.

“Em determinada passagem, os interlocutores afirmam que, quando da deflagração da Operação Carne Fraca, Marcelo Miller teria enviado extensa mensagem para Francisco de Assis e Silva tentando justificar a situação”, anotou Janot.