Nas Arcadas, Alexandre de Moraes enfrenta resistência à sua indicação para o STF

Nas Arcadas, Alexandre de Moraes enfrenta resistência à sua indicação para o STF

Centro Acadêmico XI de Agosto, da mais tradicional Faculdade de Direito do País, onde escolhido por Temer estudou e leciona, alunos preparam ato 'em repúdio'

Valmar Hupsel Filho e Pedro Venceslau

17 Fevereiro 2017 | 06h00

 

 

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

 

A indicação do ministro licenciado da Justiça, Alexandre de Moraes, para o Supremo Tribunal Federal encontra resistência entre alunos e professores da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, onde ele estudou e leciona.

 

Sob o peso de tanta tradição e prestígio das Arcadas ganha corpo mobilização do Centro Acadêmico XI de Agosto que prepara, para a próxima segunda-feira, 20, um ato de jurístas ’em repúdio’ à nomeação.

 

Moraes se graduou em Direito na USP e é professor associado de Direito Constitucional.

 

O ato está marcado para as 18hs no largo São Francisco, que fica em frente à faculdade.

Os organizadores esperam reunir cerca de 3 mil pessoas. “É o numero de pessoas que, pela internet, confirmaram e demonstraram interesse em participar”, disse o diretor-geral do Centro Acadêmico XI de Agosto, Felipe Martinez, de 23 anos, aluno do 7.º semestre.

Segundo ele, devem participar do ato professores e alunos do curso de Direito da USP e também da PUC, além de nomes ligados a movimentos sociais e políticos.

Entre os que se comprometeram a dar apoio ao manifesto, segundo o estudante, estão o vereador paulistano e ex-senador Eduardo Suplicy (PT) e o deputado federal Wadih Damous (PT-SP), que nesta semana protocolou pedido de sindicância contra Moraes no Conselho de Ética da universidade, acusando-o de plágio.

Os organizadores pretendem também protocolar outro pedido de sindicância contra Moraes, sob a acusação de ter copiado indevidamente trechos de outros livros em sua tese de doutoramento.

O Centro Acadêmico XI de Agosto organizou, pela internet, um abaixo-assinado contra a nomeação de Moraes. Até a tarde desta quinta-feira, 16, o documento já contava mais de 266 mil assinaturas. A intenção é alcançar 300 mil adesões e encaminhar o abaixo-assinado para o Senado, que vai sabatinar o ministro licenciado da Justiça.

 

Martinez explica o motivo para a reação à indicação de Moraes. “Não reconhecemos como legítimo este governo e, portanto, a legitimidade de Michel Temer para indicar um ministro para o Supremo. Além disso, Alexandre de Moraes não tem reputação ilibada e é notória sua ligação com políticos e implicados na Operação Lava Jato”, sustenta.

 

Procurado por meio de sua assessoria, Alexandre de Moraes não quis se pronunciar.

Mais conteúdo sobre:

Alexandre de Moraes